Empresas Ronaldo presta declarações na segunda-feira em Madrid por suspeitas de delito fiscal

Ronaldo presta declarações na segunda-feira em Madrid por suspeitas de delito fiscal

O futebolista português Cristiano Ronaldo presta declarações na segunda-feira num tribunal de Madrid, por suspeitas de ter defraudado o fisco espanhol em 14,7 milhões de euros entre 2011 e 2014.
Ronaldo presta declarações na segunda-feira em Madrid por suspeitas de delito fiscal
Cristiano Ronaldo vai prestar declarações num tribunal de Madrid, por suspeitas de ter defraudado o fisco espanhol em 14,7 milhões de euros entre 2011 e 2014.
Juan Medina
Lusa 29 de julho de 2017 às 09:53

O internacional português do Real Madrid vai ser ouvido à porta fechada na próxima segunda-feira, em Madrid, a partir das 11:30 locais (10:30 em Lisboa), pela juíza Mónica Gomez, do tribunal de primeira instância de Pozuelo de Alarcón, nos arredores da capital espanhola, por suspeitas de ter defraudado o fisco espanhol em 14,7 milhões de euros entre 2011 e 2014.

 

Segundo fonte do Tribunal Superior de Justiça de Madrid, a declaração de Cristiano Ronaldo é feita ainda em fase de instrução do processo, "em qualidade de suspeito", e na sequência das diligências abertas depois de o Ministério Público espanhol ter denunciado vários delitos cometidos pelo jogador entre 2011 e 2014.

 

De acordo com a mesma fonte, na sexta-feira já tinham contactado os serviços de imprensa do Tribunal Superior "cerca de 125 jornalistas de mais de trinta meios de comunicação de uma dezena de países" para fazer a cobertura do evento no exterior do tribunal de Pozuelo de Alarcón.

 

Só depois da audição de segunda-feira é que o Ministério Público decidirá se avança com a acusação e qual a pena que irá pedir.

 

Num comunicado à imprensa em 13 de Junho, o Sindicato de Técnicos do Ministério da Fazenda (Gestha) advertiu que o internacional português "poderia ser preso devido a quatro delitos fiscais" e sublinhou que "o Ministério Público apresentou a denúncia antes de 30 de Junho", para evitar que prescreva o delito fiscal quanto ao imposto sobre não residentes de 2011.

 

Cristiano Ronaldo é acusado de ter, de forma "consciente", criado uma sociedade para defraudar o fisco espanhol em 14.769 milhões de euros, cometendo quatro delitos contra os cofres do Estado espanhol, entre 2011 e 2014.

 

Em causa estão valores de 1,39 milhões em 2011, mais 1,66 milhões em 2012, a que se juntam 3,2 milhões em 2013 e 8,5 milhões em 2014.

 

Na base da acusação estão os direitos de imagem do jogador português, ao serviço do Real Madrid desde 2009, e que, desde 1 de Janeiro de 2010, é considerado residente fiscal em Espanha.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub