Finanças Públicas Rui Moreira diz que défice tem sido controlado com sacrifício do investimento

Rui Moreira diz que défice tem sido controlado com sacrifício do investimento

Admitindo que Portugal vive um "período de algum optimismo", o autarca do Porto disse que "alguma coisa não está a correr bem" quando se vê que o défice está a diminuir "sem crescimento".
Rui Moreira diz que défice tem sido controlado com sacrifício do investimento
Lusa 02 de fevereiro de 2017 às 16:01
O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, considerou hoje que o país tem "tentado controlar o défice a níveis razoáveis" com o sacrifício do investimento.

"Os números do investimento, quer público quer privado, são preocupantes", disse Rui Moreira esta manhã, na 3.ª edição do ECO Talks, que decorreu pela primeira vez no Porto.

Admitindo que Portugal vive um "período de algum optimismo", o autarca disse que "alguma coisa não está a correr bem" quando se vê que o défice está a diminuir "sem crescimento".

Rui Moreira considerou também que "há estratégia" em "alguns sectores do Governo", designadamente no da economia, contudo, "resta saber se com a actual composição do parlamento essa muleta [BE e PCP] não vai partir no momento da aplicação da estratégia".

O caso da descida da Taxa Social Única (TSU), disse, é exemplo de como "as canadianas do Governo só funcionam para algumas coisas".

Rui Moreira questionou mesmo se "esta improvável aliança consegue levar a cabo a estratégia do Governo", adiantando, contudo, que o primeiro-ministro, António Costa, "é um mestre da táctica e tem com ele alguns estrategas".

O autarca do Porto disse ver "com moderado optimismo e algumas nuvens de preocupação" o actual estado do país, considerando que, quer na Europa como no mundo, as mudanças são visíveis e Portugal, sendo um país endividado, poderá sofrer mais.

Já quando questionado sobre a venda do Novo Banco, Moreira afirmou que "só deve ser vendido se houver uma justa contrapartida".

"A não ser assim, valia mais a pena mantê-lo na esfera pública", disse, "o país não está em saldo e portanto se não se encontra comprador nesta fase mas vale nacionalizar, que depois pode seguir para uma privatização".



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas


OS CÃES RAIVOSOS DA FP_CGA

Os cães raivosos da FP_CGA abocanharam tudo e mais alguma coisa nos últimos 40 anos.

Sempre à custa dos trabalhadores e pensionistas do privado, que sustentam a FP e seus pensionistas a pão de ló.

comentários mais recentes
conselheiro de estado Há 3 semanas

Esta visto:os nortenhos tem outra visao(certissima) q o resto do pais.Eu sou chefe de familia a mais de 30 anos e nunca me passou pela cabeca governar a casa como faz a gerigonca:eles nao produzem,dao dinheiro a toda a gente,antecipam pagamentos de juros(dizem)e ainda lhes sobram guita,EXPIQUEM-SE.

rolando Há 3 semanas

Claro, uma coisa, ou outra. Há anos que parecemos todos uns atrasados mentais (se calhar somos). Investimento requer despesa e despesa sobe o défice. O país está mal, este governo, como o anterior, não pode fazer nada, apenas escolhe diferente quem mais se sacrifica, mas no fim é o mexilhão, sempre.

Anónimo Há 3 semanas


OS CÃES RAIVOSOS DA FP_CGA

Os cães raivosos da FP_CGA abocanharam tudo e mais alguma coisa nos últimos 40 anos.

Sempre à custa dos trabalhadores e pensionistas do privado, que sustentam a FP e seus pensionistas a pão de ló.

pub
pub
pub
pub