Justiça Rui Rangel alvo de buscas por suspeitas de corrupção

Rui Rangel alvo de buscas por suspeitas de corrupção

O Correio da Manhã avança que o juiz desembargador Rui Rangel e a ex-mulher Fátima Galante, também juíza desembargadora, são os principais alvos de uma mega-operação da PJ que está a decorrer esta manhã, por fortes suspeitas de corrupção em decisões que tomaram, ao longo dos anos, em tribunais superiores.
Rui Rangel alvo de buscas por suspeitas de corrupção
Pedro Simões
Negócios 30 de janeiro de 2018 às 09:47

O juiz desembargador Rui Rangel e a ex-mulher, Fátima Galante, também juíza desembargadora, são os alvos principais de uma mega-operação, que está a ser levada a cabo pela Polícia Judiciária, por fortes suspeitas de corrupção em decisões que tomaram, ao longo dos anos, em tribunais superiores, avança o Correio da Manhã.

De acordo com o jornal, há indícios que, em acórdãos que proferiram, venderam decisões judiciais em favor das partes - recebendo subornos milionários. Além disso, os dois juízes respondem por branqueamento de capitais e fraude fiscal. Rui Rangel e Fátima Galante estão a ser alvo de buscas e constituídos arguidos para se apresentarem no Supremo Tribunal de Justiça em primeiro interrogatório judicial, avança a mesma fonte.

São vários os locais que estão a ser alvos de busca como as casas de Rui Rangel e Fátima Galante, o Tribunal da Relação de Lisboa, onde o juiz exerce funções e tomou as decisões em causa, e ainda a SAD do Benfica, onde Rangel mantém uma relação de proximidade com Luís Filipe Vieira, depois de ter concorrido com ele à presidência do clube. A casa do presidente do Benfica está, de acordo com as notícias avançadas pela CMTV por volta das 11:00, está também a ser alvo de buscas por parte das autoridades.

"Há suspeitos de corrupção passiva, branqueamento de capitais e fraude fiscal - os juízes -, de corrupção activa - empresários que beneficiaram de decisões -, e ainda, sobretudo por branqueamento, aqueles que serviram de 'testas de ferro' no esquema, como o advogado Santos Martins, amigo de Rangel, e que receberia subornos em nome do juiz para depois lhe fazer chegar dinheiro de forma faseada", avança o jornal.

Entretanto, o Correio da Manhã avança que o advogado Santos Martins e o filho, amigos do juiz, foram detidos esta manhã. O advogado é suspeito de branqueamento de capitais, ao ter servido de 'testa de ferro' no esquema de Rangel, recebendo subornos em nome do juiz para depois lhe fazer chegar o dinheiro de forma faseada.

Terá sido este o esquema que denunciou o juiz desembargador em 2016, escreve o Correio da Manhã. No âmbito da operação Rota Atlântico, a Polícia Judiciária encontrou centenas de milhares de euros em contas de um jovem que, então, era desconhecido. Esse jovem é filho do advogado Santos Martins - ambos detidos esta manhã. Nas contas do filho de Sousa Martins foram depositados milhares cujo destino seria Rui Rangel, acrescenta a mesma fonte.

Entretanto, a Procuradoria-Geral da República confirmou à Lusa as buscas, dizendo que decorrem "no âmbito de um inquérito dirigido pelo Ministério Público junto do Supremo Tribunal de Justiça, com a coadjuvação de magistrados do DCIAP [Departamento Central de Investigação e Ação Penal]".

Este processo teve origem numa certidão extraída da designada Operação 'Rota do Atlântico', acrescenta a PGR, adiantando que em causa estão suspeitas de crimes de "recebimento indevido de vantagem, ou, eventualmente, de corrupção, de branqueamento de capitais, tráfico de influência e de fraude fiscal". Nesta investigação, o Ministério Público é coadjuvado pela Polícia Judiciária.

(Notícia actualizada às 09:51 com mais informação. Notícia actualizada segunda vez às 10:43 com a notícia de que o advogado Sousa Martins e o filho foram detidos. Notícia actualizada às 11:07 pela terceira vez com a informação das buscas em casa de Luís Filipe Vieira e com a confirmação das buscas por parte da PGR)




pub