Economia Rui Rio alerta para excesso de confiança

Rui Rio alerta para excesso de confiança

O ex-presidente da Câmara Municipal do Porto Rui Rio defendeu hoje que os governos devem olhar mais para o futuro a longo prazo do que "para o dia de amanhã" e alertou para os perigos "do excesso de confiança".
Rui Rio alerta para excesso de confiança
Lusa 20 de junho de 2017 às 21:23

Em declarações à Lusa e RTP à entrada para um jantar-conferência em Lisboa, e questionado sobre a possibilidade de se candidatar à liderança do PSD no próximo Congresso, Rui Rio manteve essa possibilidade em aberto.

 

"Tudo aquilo que eu disse numa entrevista em Novembro está válido a 100%", afirmou.

 

Em Novembro, em entrevista ao Diário de Notícias, Rui Rio admitiu candidatar-se no congresso do PSD previsto para Abril se, até lá, não aparecer uma alternativa credível ao actual presidente, Pedro Passos Coelho.

 

Sem querer acrescentar mais nada sobre este tema, Rui Rio disse temer que em Portugal se viva "um momento de excesso de confiança", quando o país ainda tem um percurso longo a percorrer para conseguir uma "competitividade a sério da economia".

 

"Estruturalmente continuamos com os mesmos problemas", alertou.

 

Questionado se concorda com o Presidente da República e considera o primeiro-ministro, António Costa, um "optimista irritante", respondeu: "Irritante não diria, mas optimista sim. Não é mau ser-se optimista, outra coisa é, no quadro desse optimismo e por causa desse optimismo, não tomarmos as medidas necessárias para salvaguardar o futuro".

 

"É melhor vivermos felizes do que infelizes, uma pessoa optimista é sempre melhor que uma pessoa pessimista, mas tem de ser um optimismo consciente e responsável", reforçou.

 

A conferência "Portugal, as razões da Crise Económica", organizada pela plataforma "Portugal com Futuro", foi fechada à comunicação social por o país estar em luto nacional e por respeito às vítimas do incêndio que deflagrou no sábado em Pedrógão Grande.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub