Rui Rio defende que pensões devem estar indexadas ao crescimento da economia
15 Fevereiro 2013, 08:50 por Jornal de Negócios | jng@negocios.pt
Enviar por email
Reportar erro
3
É uma das ideias da troika e pelos vistos apoiada pelo presidente da Câmara do Porto. Segundo jornal "Público" e o "JN", Rui Rio defendeu na quinta-feira que o montante pago aos pensionistas aumente ou diminua conforme a evolução do Produto Interno Bruto (PIB).

"É importante que se pense na possibilidade - e não é uma ideia feita, mas a ponderar - de encontrar uma forma de indexação das reformas à riqueza nacional. Se o PIB cresce, nós podemos pagar um pouco mais; se o PIB decresce, podemos pagar um pouco menos", afirmou o autarca durante o debate "O Estado Social e o Direito à Aposentação como Pilar da Democracia", citado pelo "Público".

 

Uma proposta parecida está inscrita no relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre as funções do Estado. Uma das hipóteses de reforma da Segurança Social passa pela indexação do pagamento do subsídio de Férias e de Natal ao crescimento económico. Por exemplo, pagar 13º e 14º mês apenas com um nível de crescimento do PIB de 3%. Esta medida seria acompanhada por um corte de 10% em todas as reformas.

 

Rui Rio não quis comentar em concreto o corte de quatro mil milhões de euros na despesa que o Governo está a preparar, dizendo apenas que o Estado social e o direito à aposentação são "inquestionáveis", mas que "é demagogia pedir que o país pague acima daquilo que pode", o que cria "desiquilíbrios ao pagar reformas mais altas do que aquelas que a riqueza nacional suporta".

Enviar por email
Reportar erro
3
pesquisaPor tags: