Américas Rússia diz que não aceitará uma Coreia do Norte com armamento nuclear

Rússia diz que não aceitará uma Coreia do Norte com armamento nuclear

Sergey Lavrov, o MNE russo, diz que o risco de um conflito entre Coreia do Norte e EUA é muito elevado. Pede a Pyongyang que trave os ensaios com mísseis e aos EUA e à Coreia do Sul que interrompam as manobras militares.
Rússia diz que não aceitará uma Coreia do Norte com armamento nuclear
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 11 de agosto de 2017 às 14:20

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergey Lavrov, afirmou esta sexta-feira, 11 de Agosto, que a Rússia não aceitará uma Coreia do Norte com armamento nuclear. Embora reconhecendo que os riscos de um conflito são muito elevados disse, citado pela Russia Today, esperar que o "bom senso" prevaleça nas relações EUA-Coreia.

"O lado que for mais forte e inteligente" deve dar o primeiro passo para atenuar a crise, afirmou Lavrov.

Em declarações citadas pela Reuters, o responsável do Kremlin apelou a que se siga o plano da Rússia e da China, anunciado no início de Julho, para reduzir as crescentes tensões entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte: congelar os testes de mísseis levados a cabo por Pyongyang, ao mesmo tempo que Estados Unidos e Coreia do Sul se comprometem a travar os seus exercícios militares de larga escala.

Palavras que surgem depois de Donald Trump ter garantido que os EUA têm a solução militar "totalmente instalada, carregada e preparada, caso a Coreia do Norte aja de forma imprudente". Numa mensagem no Twitter, o presidente dos EUA disse esperar que o líder norte-coreano Kim Jong-un "escolha outro caminho."


A Coreia do Norte anunciou estar a preparar planos para um ataque com quatro mísseis de médio alcance, que teriam como alvo as águas em torno da ilha de Guam, no Pacífico, sob administração norte-americana.


"Trump está a conduzir a situação na Península da Coreia para a iminência de uma guerra nuclear, com reacções como "os Estados Unidos não afastam uma guerra contra a Coreia do Norte," escreveu poucas horas antes a agência noticiosa norte-coreana KCNA.


Trump já tinha prometido responder com "fúria e fogo nunca vistos" em caso de tentativa de agressão e, depois de conhecida a ameaça a Guam, veio esta quinta-feira afirmar que as palavras que usou na altura contra Pyongyang "talvez não tenham sido suficientemente fortes".




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado insight 11.08.2017

É bom que os EUA tratem da situação rapidamente e de forma cirurgica!! O mundo não pode estar sujeito a este género de ameaças constantes do chanfrado da Coreia. Quanto àqueles que não concordam com o Sr. Trump, concordariam se fossem americanos, japoneses, sul-coreanos ou australianos. Com o mal dos outros sempre se pode bem... Bando de egoístas... Apaziguar as coisas com palavrinhas mansas ou palmadinhas nas costas são ações para os cães na missa quando se está perante um cenário que a continuar pode tomar proporções muito trágicas... Kim e o seu regime deverão ser impiedosamente demolidos pelos males que provocam aos próprios norte-coreanos e as ameaças constantes aos países vizinhos...

comentários mais recentes
Anónimo 13.08.2017

Subscrevo integralmente o comentário de Insight!

insight 11.08.2017

É bom que os EUA tratem da situação rapidamente e de forma cirurgica!! O mundo não pode estar sujeito a este género de ameaças constantes do chanfrado da Coreia. Quanto àqueles que não concordam com o Sr. Trump, concordariam se fossem americanos, japoneses, sul-coreanos ou australianos. Com o mal dos outros sempre se pode bem... Bando de egoístas... Apaziguar as coisas com palavrinhas mansas ou palmadinhas nas costas são ações para os cães na missa quando se está perante um cenário que a continuar pode tomar proporções muito trágicas... Kim e o seu regime deverão ser impiedosamente demolidos pelos males que provocam aos próprios norte-coreanos e as ameaças constantes aos países vizinhos...

Anónimo 11.08.2017

O problema da Rússia é a proximidade politico/geográfica da Coreia com a China, daí esta tomada de posição para prevenir futuros compromissos desses dois países.

Anónimo 11.08.2017

Estamos na presença de fábricas de matar pessoas e de destruir coisas essenciais à humanidade, enquanto houver carne para calhão... O Bem nos proteja de tantos escravos e retardados mentais.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub