Mundo Rússia diz-se pronta para vetar resolução sobre envio de observadores para Alepo

Rússia diz-se pronta para vetar resolução sobre envio de observadores para Alepo

A Rússia está disposta a usar o seu direito de veto para bloquear no Conselho de Segurança da ONU uma proposta de resolução francesa que defende o envio de observadores para monitorizar a retirada de civis de Alepo.
Rússia diz-se pronta para vetar resolução sobre envio de observadores para Alepo
Lusa 18 de dezembro de 2016 às 16:28

"Não podemos permitir que passe, porque é desastrosa", afirmou hoje à comunicação social o embaixador russo junto do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), Vitaly Churkin, citado pela agência France Presse.

 

O Conselho tinha prevista uma reunião à porta fechada para consultas, seguidas de uma votação das eventuais propostas.

 

Churkin afirmou que a Rússia, aliada da Síria, iria avançar com as suas próprias propostas de monitorização, mas declinou avançar quaisquer pormenores.

 

A França fez circular uma proposta de resolução na passada sexta-feira, em que afirma que o Conselho de Segurança está "alarmado" com a deterioração da crise humanitária em Alepo e com o facto de "dezenas de milhares de habitantes sitiados" enfrentarem necessidades de ajuda e resgate.

 

A Rússia vetou já seis resoluções sobre a Síria desde o início do conflito em 2011.

 


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Alguma coisa esta errada 18.12.2016

A França leva com os terroristas em Paris,mas nas costa do seu povo ajuda os terroristas na Síria?

pub
pub
pub
pub