Mundo Rússia e Irão avisam EUA sobre a Síria: “A partir de agora responderemos com força”

Rússia e Irão avisam EUA sobre a Síria: “A partir de agora responderemos com força”

Os aliados de Bashar al Assad consideram que o ataque militar na Síria passou todos os limites e avisam que responderão se houver qualquer outra agressão.
Rússia e Irão avisam EUA sobre a Síria: “A partir de agora responderemos com força”
Reuters
Sara Antunes 09 de abril de 2017 às 16:24

Os aliados do presidente sírio, Bashar al Assad, constituídos por forças russas, iranianas e milícias que apoiam o regime sírio realçaram este domingo, 9 de Abril, que o ataque dos EUA à base aérea síria na última sexta-feira ultrapassa qualquer limite e avisam que haverá resposta se houver outro ataque.

 

"O que a América fez na agressão à Síria foi um ultrapassar de linhas vermelhas. A partir de agora responderemos com força a qualquer agressor ou a qualquer quebra de limites seja de quem for e a América conhece a nossa capacidade para responder bem." Esta é a declaração, citada pela Reuters, produzida pelo grupo de aliados da Síria, através de um órgão de comunicação, o Ilam al Harbi, cujo nome significa "media de guerra".

 

Os Estados Unidos lançaram na sexta-feira, 7 de Abril, de madrugada 59 mísseis de cruzeiro contra a base aérea síria de Shayrat, de onde terão partido os aviões envolvidos no ataque com armas químicas que na terça-feira matou pelo menos 86 pessoas em Khan Sheikhun, no noroeste do país.

 

A reacção d Rússia, um aliado de Bashar al Assad, não se fez esperar. No próprio dia, a Rússia considerou que o ataque em questão violou a lei e destacou os danos significativos que tal acto provoca na relação entre a Rússia e os EUA.

 

A agência oficial da Síria, noticiou entretanto que o ataque dos EUA terá provocado nove mortes, quatro dos quais crianças.

 

A troca de acusações não parou desde então, com os EUA a acusarem a Rússia de inacção, o que tem ajudado a que a Síria mantenha armas químicas em sua posse.

 

Entretanto o presidente russo, Vladimir Putin, e o seu homólogo iraniano., Hassan Rouhani, tiveram uma conversa telefónica, na qual concluíram que uma acção agressiva dos EUA contra a Síria não é permitido e viola a lei internacional, revelou este domingo o Kremlin, citado pela Reuters. Os dois responsáveis acordaram ainda investigar o recurso, por parte de forças sírias, de armas químicas, assumindo o seu papel de combate ao terrorismo.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Traidores não faltam Há 2 semanas

Por alguns comentários que por aqui aparecem, ficamos sabendo que os comunistas portugueses continuam crentes na mãe Russa, não lhe interessa o desenvolvimento nacional e dos portugueses, mas sim, a vitória da mãe Russa sobre os povos

Não olham a meios para depenar os povos Há 2 semanas

A derrota dos terroristas estava há vista,mas agora aparece os EUA ao lado dos corta cabeças,já não bastava lhe dar as armas,os EUA é assim que funcionam na ultima grande guerra foi assim apareceram na ultima hora para ocupar a UE,que ainda cá andam,que só os falcões apoiam.

Anónimo Há 2 semanas

"O que a América fez na agressão à Síria foi um ultrapassar de linhas vermelhas. A partir de agora responderemos com força a qualquer agressor ou a qualquer quebra de limites seja de quem for e a América conhece a nossa capacidade para responder bem." --> Isto é que é falar!

Conselheiro de Trump Há 2 semanas

Este cantar russo com coro iraniano tera sucesso se a Siria nao voltar a cometer o erro das armas quimicas ou semelhante,caso contrario tera novamente resposta penso.Para bem de todos que se sentem a mesa e resolvam a ferida que a todos nos move.Bufalo cercado mata o leao.

ver mais comentários
pub