Mundo Russos têm informação pessoal e financeira comprometedora sobre Trump

Russos têm informação pessoal e financeira comprometedora sobre Trump

A estação televisiva CNN, que avança a notícia, sustenta a sua história em "múltiplos" funcionários norte-americanos com conhecimento de reuniões entre os serviços secretos, Trump e Obama onde aquela informação foi transmitida.
Russos têm informação pessoal e financeira comprometedora sobre Trump
Kevin Lamarque /Reuters
Lusa 11 de janeiro de 2017 às 00:58
Os chefes dos serviços de Informações dos EUA apresentaram ao Presidente norte-americano cessante, Barack Obama, e ao eleito, Donald Trump, material alegadamente comprometedor para o último, que estaria na posse do Governo russo, noticia a CNN.

Este material, sintetizado em duas páginas, foi apresentado a Trump durante a reunião que teve na semana passada com o director das Informações Nacionais (DNI, na sigla em inglês), James Clapper, da polícia federal (FBI), James Comey, e das agências Central de Informações (CIA), John Brennan, e da Segurança Nacional (NSA), Mike Rogers.

A estação televisiva sustenta, no seu sítio na Internet, a sua história em "múltiplos" funcionários norte-americanos com conhecimento daquelas reuniões.

Pelo menos, parte da informação apurada foi obtida por um ex-agente do serviço de informações britânico MI6, que esteve colocado em Moscovo na década de 1990 e agora tem uma empresa, adianta a televisão de Atlanta. As suas investigações começaram por ser financiadas por apoiantes de opositores de Trump durante as primárias republicanas.

Aquelas duas páginas com a alegada informação comprometedora, de carácter pessoal e financeiro, segundo a CNN, serão de conhecimento muito reservado. Apenas Obama, Trump e os quatro líderes partidários do Congresso e os quatro principais membros das comissões de Informações do Senado e da Casa dos Representantes conheceriam o seu conteúdo, além dos dirigentes dos serviços de informações.

As páginas sintetizariam um conjunto de 35, que a CNN garantiu já ter visto, que, noticiou, o senador republicano John McCain já teria entregado ao director do FBI.

Além da eventual informação pessoal e financeira comprometedora, a CNN adiantou ainda que a sinopse de duas páginas incluiria alegações da existência de um fluxo contínuo de informação entre Trump e o Governo russo, com recurso a vários intermediários.



A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Pois é, agora o Trump também é espião pró-russo, não é? Então e a Hillary, não tem estado ao serviço da Arábia Saudita e dos países que lhe deram os milhões para a Fundação Clinton? Já não falando nos escandalos sexuais do casal Clinton, "qui mais irá acontecê" nos EUA???

pertinaz Há 2 semanas

HÁ MESES QUE A BOMBA ESTAVA PREPARADA......

FORAM OS PRÓPRIOS REPUBLICANOS QUE MANDARAM FAZER A INVESTIGAÇÃO E O RELATÓRIO AGORA DIVULGADO........

NÃO ADMIRA QUE TRUMP TENHA DE RECORRER À FAMÍLIA PARA COMPOR A EQUIPA GOVERNATIVA.....

... E QUE A PRÓPRIA MULHER JÁ TENHA DITO QUE NÃO VAI PARA WASHINGTON !!!

So Trampa Há 2 semanas

Ele a cada porcaria de noticia, feita os Americaes estou Doidos.

Anónimo Há 2 semanas

METERAM A RAPOSA NO GALINHEIRO!!!

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub