Angola Sagres produzida em Angola quer retomar volume de vendas antes da crise económica

Sagres produzida em Angola quer retomar volume de vendas antes da crise económica

A Sagres, cerveja portuguesa que começou a ser produzida este ano em Angola, pretende atingir o seu volume de vendas, de cerca de 353,5 milhões de hectolitros anuais, antes do início da crise económica angolana.
Sagres produzida em Angola quer retomar volume de vendas antes da crise económica
Lusa 11 de fevereiro de 2017 às 13:32

A meta foi avançada este sábado, 11 de Fevereiro, pelo administrador da Sagres para a área de logística, José Torres, em conferência de imprensa que serviu para o relançamento da marca em Angola, a sua primeira internacionalização.


Segundo o responsável, actualmente o volume de vendas da Sagres em Angola não é muito significativo, devido à crise dos últimos anos, iniciada em 2014, mas o objectivo é a retomada dos níveis anteriores, com o início da produção local.

"Como cerveja de exportação chegámos a vender cerca de 353,5 milhões de hectolitros em Angola. Era o volume que nós tínhamos antes de começar a crise", referiu.


Acrescentou ainda que outro dos objectivos é serem capazes de recuperar, no primeiro ano, os mesmos volumes e atingirem uma quota de mercado da marca Sagres, de cerca de 5% do total do mercado angolano.


"Isso é o volume que nos estamos a propor e queremos atingir", frisou.


Relativamente à produção local, José Torres disse que continua sujeita à importação de "muita" da matéria-prima necessária, mas "é um desejo enorme que à medida que a economia for capaz de encontrar os meios e as matérias-primas para serem utilizadas", sejam a preferência.


A marca portuguesa foi instalada em Angola em parceria com a Sociedade de Distribuição de Bebidas de Angola (SODIBA), fábrica da empresária angolana Isabel dos Santos.


Sobre a fábrica, José Torres disse tratar-se de uma infraestrutura "moderníssima, construída com a melhor tecnologia, os melhores equipamentos", que vão permitir à marca guardar a sua originalidade.


"A cerveja que estamos hoje a fabricar representa a verdadeira essência da qualidade da Sagres", disse.


Para a instalação daquela unidade fabril, a SODIBA, a mais recente empresa de produção e distribuição de bebidas em Angola, fez um investimento, maioritariamente angolano, que ascendeu os 150 milhões de dólares (cerca de 141 milhões de euros).


Localizado no Polo Industrial do Bom Jesus, a 60 quilómetros de Luanda, este complexo industrial conta com uma área total de 40 hectares e uma capacidade de produção instalada de 144 milhões de litros/ano de cerveja, extensível até 200 milhões de litros, tendo a produção arrancado em Janeiro passado.


Envolve duas linhas de enchimento, uma com capacidade para 50 mil garrafas/hora e outras linha para o enchimento de latas com a mesma capacidade.


A marca foi lançada sob o mote "Sagres, o Mundo é Teu!", e conta como embaixadores da cerveja personalidades angolanas, a modelo Sharam Diniz, o basquetebolista Carlos Morais e o músico C4Pedro.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub