Economia S&P: Saída da Grécia do euro não arrastará outros países

S&P: Saída da Grécia do euro não arrastará outros países

Agência de rating estima em 33% a probabilidade da Grécia sair da união monetária. Caso esta se concretize, a S&P acha que deverá ser caso único.
Eva Gaspar 04 de Junho de 2012 às 19:33
A Standard&Poor´s considera que, neste momento, a probabilidade da Grécia sair do euro é “pelo menos de uma em três”, admitindo que esse desfecho possa ser acelerado pelo resultado das eleições do próximo dia 17, se delas resultar um Governo que rejeite as condições acordadas com a UE e FMI para o segundo empréstimo internacional.

A saída do euro poderá ser o desfecho de uma sucessão de eventos iniciada com a rejeição dos termos do memorando e subsequente interrupção do financiamento ao país, escreve a agência de rating, antecipando “graves prejuízos” para a economia e para as finanças públicas do país.

Mais difícil é antecipar o “potencial impacto noutros países ‘periféricos’”. Ainda assim, a S&P considera “improvável que outros soberanos sigam o exemplo de uma saída da Grécia”. Não o farão porque entretanto “testemunharão as privações económicas e a longa demora da recolha de benefícios de uma desvalorização cambial”. E, "nesse meio tempo, os parceiros europeus terão fornecido apoio adicional para desencorajar mais saídas” do euro. “Os políticos europeus quererão demonstrar que a Grécia é um caso único”.

A agência escreve ainda que um eventual abandono grego “não desencadeará, por si, uma revisão em baixa dos ‘ratings’ de outros países”, até porque “não terá automaticamente quaisquer consequências negativas sobre as suas perspectivas de continuidade no euro”.








A sua opinião14
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
geolingua 05.06.2012

Só duas nações - a Grécia passada e Portugal futuro – receberam dos deuses a concessão de serem não só elas mas também todas as outras. - Chamo a atenção para o facto, mais importante que geográfico, de que Lisboa e Atenas estão quase na mesma latitude. – Fernando Pessoa

Veja tudo em ENDOECONOMIA - (procurar no google esta palavra) - Para maiores detalhes contactar Roberto Moreno - geo@geopress.org ou 21 313 99 99 ou 966 054 441

Roberto Moreno 05.06.2012

GEO, é a nova moeda resultado do conceito de ENDOECONOMIA - procurar no google esta palavra. – Uma receita para Grécia e Portugal sair da CRISE.- Os produtos e serviços, via a marca GEO, e que pertence aos 10 milhões de portugueses, é a solução! - Alguém se atreve a comentar este revolucionário conceito de economia para o século XXI? – Não é preciso ser nenhum PHD de Economia, basta ler as 7 páginas, com a devida atenção, e, depois, esclarecer as dúvidas, pessoalmente, com Roberto Moreno – geo@geopress.org ou 966 054 441

Anónimo 04.06.2012

Estes devem ser os mesmos que estão a afundar o espaço Euro, sobre bandeira da agenda neoliberal que está a falhar no EUA...esta gente só quer o melhor para os seus grande grupos económicos e não nutrem respeito pôr valores humanos, como família, solidariedade, etc..

espinho 04.06.2012

nao posso culpar a alemanha mas culpo bruchelas tinham a obrigaçao de ter prevenido eata situaçao e para isso que sao bem pagos pelos europeus se a grecia ou portugal nao tiham condiçoes para entrar nao deixassem entrar porque se os politicos tiveram culpa entam castiguemnos tambem nao podem deichar o povo a sua propria sorte nao podiam venderem esta ilusam que foi a europa que pasoa ser uma ratueira

ver mais comentários
pub