União Europeia Sapin: Bancos americanos estão a avaliar saída do Reino Unido por causa do Brexit

Sapin: Bancos americanos estão a avaliar saída do Reino Unido por causa do Brexit

Michel Sapin, ministro das Finanças francês, afirma que os bancos norte-americanos estão a avaliar a deslocação das suas actividades no Reino Unido, devido ao Brexit.
Sapin: Bancos americanos estão a avaliar saída do Reino Unido por causa do Brexit
Negócios 14 de Outubro de 2016 às 23:10

De acordo com Michel Sapin, os bancos dos Estados Unidos encontram-se actualmente a avaliar a situação, numa postura de "esperar para ver", refere o The Guardian. Caso o Reino Unido abandone a União Europeia, as instituições bancárias podem vir a deslocar a sua actividade para outros países europeus. "Estas são as palavras deles, não minhas", salvaguarda Sapin.

 

Numa conferência de imprensa em Paris, o ministro afirmou que os bancos já não se questionam quanto à existência do Brexit, mas admitem que esta questão se poderá prologar no tempo.

 

Esta sexta-feira, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, alertou o Governo britânico que ou haverá um Brexit puro, ou não ocorrerá Brexit de todo. Perante tais declarações, Michel Sapin afirma que alguns bancos já decidiram "transferir as actividades do continente", cita o The Guardian.

 

De acordo com o mesmo jornal, Paris é uma das várias cidades que está a tentar atrair as instituições financeiras caso os bancos desloquem a sua actividade para outros países. Michel Sapin adianta que a capital francesa já se encontra a trabalhar para se promover enquanto nova capital financeira da União Europeia.

 

Carmen Nuzzo sublinhou na passada quarta-feira que "a maior ameaça vem das restrições à imigração, que podem lesar a colaboração internacional e a atractividade para novos talentos no Reino Unido". O economista sénior do City Bank avança também que tal pode ser tanto prejudicial quanto maior for o controlo da imigração no acesso ao mercado britânico. "Colaboração internacional é a chave para os sectores de investigação académica e corporativa", acrescenta.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Com a França no estado em que está (defice publico, defice comercial externo, sem crescimento econmico, desemprego, terrorismo), o Monsieur Sapin está preocupado com o Reino Unido.

pub