Finanças Públicas Schäuble diz que Portugal fez "progressos impressionantes" graças às reformas do resgate

Schäuble diz que Portugal fez "progressos impressionantes" graças às reformas do resgate

Na semana em que a Comissão Europeia recomenda a saída do Procedimento dos Défices Excessivos, o ministério germânico das Finanças nota a evolução feita na consolidação das contas públicas e na economia. Mas diz que se devem ao tempo da "troika".
Schäuble diz que Portugal fez "progressos impressionantes" graças às reformas do resgate
Negócios 26 de maio de 2017 às 18:31
O ministro germânico das Finanças considera que Portugal obteve progressos "impressionantes" nas finanças públicas e na economia, "facto" que prova que as políticas colocadas em prática no âmbito do programa de ajustamento de 2011 a 2014 funcionaram.

"Portugal fez progressos impressionantes na redução do défice orçamental e na promoção do crescimento", escreve o porta-voz de Schäuble, Dennis Kolberg, em resposta escrita à revista Sábado. "Este facto prova outra vez que as políticas de reforma introduzidas no quadro do programa de ajustamento funcionam," acrescenta a mesma fonte.

"Continua a ser importante que Portugal adira ao rumo da consolidação orçamental", afirmou ainda, acrescentando que a "dívida pública ainda alta [que] precisa de redução adicional". 

Já esta sexta-feira, 26 de Maio, o ministério das Finanças alemão tinha confirmado ao Negócios a comparação feita, no início da semana, por Wolfgang Schäuble entre o seu colega português Mário Centeno e Cristiano Ronaldo.

"À margem do encontro dos ministros das Finanças em Bruxelas, o ministro Schäuble teve uma conversa sobre futebol e a estrela portuguesa de futebol Cristiano Ronaldo. Num reparo descontraído e amigável, o ministro notou que o conselho do Ecofin também tem uma estrela portuguesa: o ministro Centeno," afirmou aquela fonte. 

A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 horas

Este alemão elogia Centeno e Passos. E Costa? É "Bosta"?

Anónimo Há 5 horas

Os estrangeiros não estão a par daquilo que o PS, o BE e o PCP são capazes. Não têm noção do esterco que lhes inunda o pensamento económico. Julgam que a esquerda portuguesa é como a maior parte da esquerda escandinava com possibilidade de ter representação nos respectivos governos. A esquerda mainstream de lá, da Escandinávia, é um PSD de cá. É orientada para o mercado, o investimento e as empresas, sem contudo esquecer a necessidade de ter um Estado de Bem-Estar Social funcional, justo e sustentável.

Anónimo Há 5 horas

O Jornal de Negócios devia elaborar sobre as transformações que economias mais desenvolvidas estão a viver há muito, criando assim as condições para se distanciarem ainda mais de economias capturadas pelos oligopólios, o sindicalismo e o neoludismo como a portuguesa e grega. Economias suicidas anti-mercado e anti-capital.

Matrículas Há 1 dia

Conselheiro de Trump, as matrículas para a escola primária já começaram, já te matriculaste?

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub