Economia Schäuble diz que "vai chorar" se o Reino Unido sair da UE

Schäuble diz que "vai chorar" se o Reino Unido sair da UE

O ministro germânico das Finanças espera que o cenário não se concretize e disse que a Europa continental ficaria mais frágil e volátil se tal viesse a acontecer.
Schäuble diz que "vai chorar" se o Reino Unido sair da UE
Paulo Zacarias Gomes 03 de Março de 2016 às 17:32

O ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schäuble, disse esta quinta-feira, 3 de Março, que "choraria" caso os eleitores do Reino Unido decidissem no referendo de Junho pela saída do país na União Europeia.

"Choraria, mas espero que isso não aconteça", disse Schäuble em Londres perante representantes do sector empresarial, quando questionado sobre qual seria a reacção da Alemanha a um cenário de "Brexit". Conta a Reuters que a afirmação fez disparar aplausos e motivou risos dos presentes na sala.

O ministro acrescentou, na conferência anual das câmaras de comércio britânicas – em que também participou o seu homólogo britânico George Osborne -, que a União seria menos estável com a saída do Reino Unido e manifestou-se esperançado que os eleitores escolham a permanência na família dos 28 quando forem às urnas a 23 de Junho.

"Penso que o Reino Unido arriscaria a que a Europa continental se tornasse menos estável e mais volátil", disse Schäuble.

A chanceler alemã Angela Merkel apoiou em Fevereiro passado o resultado das negociações entre o Reino Unido e a União para reenquadrar a posição dos britânicos dentro da UE, mas frisou que o acordo não poderia supor condições privilegiadas para o sector financeiro britânico em detrimento do resto da Europa. 

O Reino Unido fechou a 18 e 19 de Fevereiro um acordo com os seus parceiros europeus que prevê reenquadrar a sua presença na União Europeia. David Cameron, o primeiro-ministro britânico, considerou que o entendimento alcançado responde àquilo que era pretendido pelo Reino Unido e é com esse argumento que vai tentar que o "sim" à presença na União Europeia vença no referendo de Junho. 

Esta quinta-feira, o ministro francês da Economia Emmanuel Macron admitiu vir a deixar cair um acordo de controlo de fronteiras com o Reino Unido no caso da saída do país da UE, deixando entrar em território britânico os refugiados e migrantes que aguardam em Calais. O responsável abriu ainda as portas de França aos bancos que pretendam deixar Londres em caso de "Brexit".




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
5640533 04.03.2016

Vai chorar porque vão diminuir os súbditos da Sua Majestade Merkel.

Anónimo 03.03.2016

Quando ninguem ganha,perdemos todos.Se eventualmente o nao ganhar,pode ser o caminho aberto para mais saidas.Nos dizemos EU mas ela de Uniao tem defacto muito pouco.A via encontrada pelos migrantes deve-se ao draghi que esta a dar uma imagem da EU errada.Riqueza ficticia.

pub
pub
pub
pub