Europa Schulz acelera ataque a Merkel após queda nas sondagens

Schulz acelera ataque a Merkel após queda nas sondagens

Uma sondagem publicada no Bild dá uma vantagem de 14 pontos percentuais à CDU de Angela Merkel. Schulz desvaloriza os números.
Schulz acelera ataque a Merkel após queda nas sondagens
Negócios com Bloomberg 22 de agosto de 2017 às 09:49

Martin Schulz, principal rival de Angela Merkel nas eleições agendadas para 24 de Setembro, aumentou o tom de críticas à actual chanceler alemã, numa altura em que as sondagens apontam para um aumento da distância das intenções de voto entre os dois candidatos.

 

As críticas a Merkel foram proferidas num discurso efectuado em Bremen, o primeiro de cerca de 40 grandes comícios que Schulz tem previstos para as próximas cinco semanas.

 

"Tem sido escrito e estimado que as eleições já estão decididas. Mas tenho que vos dizer: sondagens não são resultados. Têm a opção de escolher entre uma chanceler que evita qualquer debate sobre o futuro e alguém que vos diz o que quer fazer", afirmou.

 

De acordo com a Bloomberg, o candidato do SPD, partido que com a CDU de Merkel governa a Alemanha desde 2013, focou as criticas a Merkel nas questões da regulação, desigualdade do género e falta de investimento público. Apontou também que Merkel não pretende aumentar as pensões, o que representa uma "declaração de guerra contra uma geração inteira".

 

As críticas mais fortes por parte do antigo presidente do Parlamento Europeu surgem numa altura em que Schulz está a perder terreno nas sondagens. O barómetro do INSA publicado hoje no Bild dá à CDU 38% das intenções de voto, 14 pontos percentuais à frente do SPD (24%). Na sondagem efectuada pelo mesmo instituto, em Abril, os dois partidos surgiam empatados. Nas sondagens efectuadas por outros organismos a distância entre a CDU e o SPD oscila entre 15 e 18 pontos percentuais.

 

Merkel não foi o único alvo de Schulz, que também criticou Trump, que "não tem o desejo de se distanciar dos Nazis", assinalando a postura branda de Merkel face às declarações do presidente dos Estados Unidos. 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
surpreso 22.08.2017

Mas,quem é que vota num tipo, que cada vez que fala mostra que é burro?Schultz como adversário, foi o presente inesperado para uma Merkel cansada

pub