Conjuntura Sector dos serviços acelera em Setembro

Sector dos serviços acelera em Setembro

A actividade dos serviços voltou a crescer em Setembro, depois de ter desacelerado no mês anterior, anunciou o INE.
Sector dos serviços acelera em Setembro
Paulo Zacarias Gomes 13 de novembro de 2017 às 11:29
Os negócios do sector dos serviços melhoraram em Setembro a um ritmo superior do que tinha sido verificado em Agosto, denotando uma aceleração deste sector económico.

Segundo os dados revelados esta segunda-feira, 13 de Novembro, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), em Setembro o índice de volume de negócios nos serviços avançou 6,4% em termos homólogos, contra 5,7% em Agosto.

O número representa também um regresso ao crescimento do sector depois de uma desaceleração entre Julho e Agosto (tinha passado de um crescimento homólogo de 6,1% para 5,7%).

Segundo o INE, as áreas de comércio por grosso, reparação de veículos automóveis e motociclos e transportes e armazenagem foram as que mais contribuíram para este desempenho, tendo no entanto a secção alojamento sido a que registou uma variação mais intensa em Setembro, a denotar o contributo particular do sector turístico no país.


Já em termos trimestrais verificou-se uma desaceleração do crescimento deste sector (6,1% em termos homólogos no terceiro trimestre contra um avanço de 6,9% no trimestre precedente). Também no emprego e nas remunerações se verificou uma diminuição do ritmo de crescimento.

No caso do emprego, a subida em Agosto (face ao mesmo mês do ano passado) tinha sido de 3,6%, a que sucedeu uma subida de 3,4% em Setembro. No que diz respeito às remunerações, subiram 4,4% em Setembro, menos 0,3 pontos percentuais que em Agosto.

(Notícia actualizada às 12:37 com mais informação)



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Observador Há 1 semana

NÃO se nota nos ordenados , está a crescer e bem mas para alguns " trabalhadores/patrões" .Até mete dó pessoas trabalharem no duro e levam 600 euros para casa ...com renda de casa,filhos água e luz , METE DÓ !

TinyTino Há 1 semana

Esta notícia que mereceria destaque, afinal está em nota de rodapé... mais uma infeliz coincidência