Conjuntura Sector dos serviços volta a acelerar em Julho

Sector dos serviços volta a acelerar em Julho

Depois de dois meses de abrandamento, o sector dos serviços voltou a acelerar em Julho.
Sector dos serviços volta a acelerar em Julho
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 11 de setembro de 2017 às 11:14

O volume de negócios dos serviços cresceu 6%, em Julho, quando comparado com o mesmo período do ano passado, revelou esta segunda-feira, 11 de Setembro, o Instituto Nacional de Estatística (INE).

 

Esta evolução corresponde a um acelerar face ao mês anterior, pondo assim fim a um ciclo de dois meses consecutivos de abrandamento.

 

"O índice de emprego apresentou uma variação homóloga de 3,4%", ainda assim inferior ao crescimento de 3,6% verificado em Junho. Já o "índice de remunerações efectivamente pagas registou uma variação homóloga de 4,6% em Julho, 2,2 p.p. acima da taxa observada em igual período de 2016", adianta o INE.

 

"O índice de volume de trabalho, medido pelo número de horas trabalhadas ajustado dos efeitos de calendário, apresentou um crescimento homólogo de 3,3%", acrescenta a mesma fonte.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 11.09.2017

"We have to find new ways of employing people and maybe people need to find new ways of spending their time... The truthful answer is we won’t need as many people." - John Cryan www.businessinsider.com/deutsche-bank-ceo-cryan-robots-and-banking-jobs-2017-9

Anónimo 11.09.2017

"We will gradually enter a time where having a lifetime employment based on tasks that are not justified will be less and less sustainable - we're actually already there." - Emmanuel Macron www.msn.com/en-gb/video/other/french-civil-servants-no-more-jobs-for-life/vi-AAeGlDD