Mundo Seguro diz que Guterres "leva quase tudo pela frente" quando se dedica a causas

Seguro diz que Guterres "leva quase tudo pela frente" quando se dedica a causas

"[Guterres] tem força, determinação e convicções e é isso que faz com que a sua eleição seja um momento de esperança para a cena internacional", realçou o antigo secretário-geral dos socialistas.
Seguro diz que Guterres "leva quase tudo pela frente" quando se dedica a causas
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 08 de Outubro de 2016 às 09:55

O antigo secretário-geral do PS António José Seguro congratulou-se hoje com a escolha de António Guterres para secretário-geral da ONU, sublinhando que é um homem que "leva quase tudo pela frente" quando se dedica a causas.

 

"Conheço bem, porque trabalhei com ele durante muitos anos, as suas qualidades humanas e sei que, quando se dedica a causas, leva quase tudo pela frente", referiu Seguro, em Guimarães, à margem de uma conferência sobre "Transparência e Reforma Eleitoral".

 

Classificando António Guterres como "a pessoa certa" para a liderança da ONU, Seguro adiantou que a sua eleição é "um momento de esperança para a cena internacional", numa altura em que "o mundo vive uma situação muito complexa", com demasiadas crises".

 

"Mas ele [Guterres] tem força, determinação e convicções e é isso que faz com que a sua eleição seja um momento de esperança para a cena internacional", realçou.

 

Seguro manifestou-se convicto de que o "humanismo" e a "profunda solidariedade" serão as marcas que o antigo primeiro-ministro deixará nas Nações Unidas.

 

"Tenho a certeza de que as Nações Unidas vão ter muito orgulho no seu trabalho, na sua capacidade de mobilizar consensos e de criar movimentos no sentido de prevenir conflitos e, nalguns casos, de os poder resolver", acrescentou.

 

Por isso, e como amigo, português e cidadão do mundo, Seguro desejou "as maiores felicidades" a Guterres.

 

"Neste momento, o que nos lhe desejamos é que vá numa boa hora, isto é, que tenha todas as condições para promover consensos e unidades", rematou.

 

O Conselho de Segurança da ONU escolheu quinta-feira, por unanimidade e aclamação, o antigo primeiro-ministro português António Guterres como secretário-geral da organização.

 

A escolha do Conselho de Segurança, o principal órgão decisório das Nações Unidas, deverá agora ser ratificada pela assembleia-geral da organização.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 08.10.2016

ENJO-O POLITICO:terrivel vermos BRANQUEAR um politico.SO DESCRENSA.

Anónimo 08.10.2016

Disseste bem:QUASE TUDO.Mas esse QUASE TUDO que atraz deixou os portugueses sabem quanto ele nos tem custado.PROXENETA duma figa.

pub
pub
pub
pub