Seguro lamenta inexistência de "repartição justa" da austeridade
22 Dezembro 2011, 16:49 por Lusa
1
Enviar por email
Reportar erro
0
O secretário-geral do PS, António José Seguro, considerou hoje não existir uma "repartição justa e equilibrada do esforço que está a ser pedido aos portugueses", na sua mensagem de Natal aos portugueses.
Na mensagem hoje divulgada, Seguro reiterou a sua convicção sobre a existência de "outro caminho" para sair da crise.

"Em tempos difíceis, como aqueles que vivemos, deve imperar um profundo sentido de justiça e de solidariedade. Infelizmente assim não acontece (...) não existe uma repartição justa e equilibrada do esforço que está a ser pedido aos portugueses. Uma política de austeridade deve sempre ser aplicada com equilíbrio, sensibilidade social e com sentido de justiça. Infelizmente, não é o que tem sido feito", salienta.

Para o secretário-geral socialista, são necessárias "políticas que olhem para além do défice".

"Criando riqueza em vez de ficarmos mais pobres. Apostando no crescimento económico, no emprego e mobilizando os portugueses. Apoiando as nossas empresas e estimulando a nossa capacidade empreendedora. Só o emprego e o crescimento da economia garantem o futuro, a sustentabilidade das políticas sociais e a coesão nacional", pode ler-se.

Na missiva, o líder socialista renova ainda o seu compromisso de "trabalhar para construir um futuro melhor para todos" e de lutar para contrariar a emigração.

"Estes não são tempos para baixar os braços ou para desistências. Não podemos desistir de Portugal. Temos razões para acreditar nas capacidades e na inteligência dos portugueses. Acreditar nos jovens portugueses. Tudo farei para que aqui encontrem oportunidades de emprego e não tenham de abandonar o nosso país", refere.

Seguro manifesta-se ainda confiante que, tal como no passado, o país conseguirá ultrapassar as actuais dificuldades.

"Temos de confiar mais em nós próprios. Devemos aproveitar estes tempos para reforçarmos as nossas convicções e ter confiança e esperança no nosso país. Somos um povo com talento e com muita competência. As lideranças devem dar o exemplo tanto no discurso como na prática", salienta.





1
Enviar por email
Reportar erro
0