Seguro satisfeito com vozes do PSD que reclamam mais tempo para programa da troika
07 Junho 2012, 21:29 por Jornal de Negócios Online | negocios@negocios.pt
9
Enviar por email
Reportar erro
0
O líder socialista declarou-se hoje satisfeito por haver vozes no interior do PSD, como Manuela Ferreira Leite e Rui Rio, a "somarem-se" à sua defesa de mais tempo na aplicação das medidas da troika a Portugal.
Afirmando ter "muita dificuldade" em perceber como o primeiro-ministro e o Governo "se podem vangloriar do êxito sua receita" quando o desemprego está a aumentar e o país está a empobrecer, António José Seguro congratulou-se por hoje mais vozes se juntarem à sua, defendendo mais tempo e o ajustamento do memorando à realidade do país.

Durante uma visita à Feira Nacional da Agricultura, em Santarém, o secretário-geral do PS afirmou que o seu partido vai também apresentar uma resolução que defende a descida do IVA na restauração, sublinhando que esse foi "um dos cavalos de batalha" no debate na especialidade do Orçamento do Estado (OE).

Questionado sobre a posição do seu partido na discussão da proposta do PCP, na sexta-feira, no Parlamento, António José Seguro afirmou que o PS tem a sua própria resolução em defesa da descida do IVA de 23 para 13 por cento na restauração.

Lamentando que essa posição não tenha vingado no debate na especialidade do OE -- "os dados infelizmente estão à vista" -, o secretário-geral do PS declarou-se satisfeito por a associação representativa do sector ter afirmado que uma diminuição da taxa ajudaria na criação de novos postos de trabalho.

O líder socialista falava durante uma visita à Feira Nacional da Agricultura, que decorre até domingo no Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas, em Santarém.

Seguro defendeu "bom senso" na negociação da reforma da Política Agrícola Comum, lembrando que o eurodeputado socialista Capoulas Santos tem apresentado propostas em defesa do reequilíbrio da distribuição dos fundos comunitários e do apoio aos pequenos e médios agricultores.

O líder socialista considerou estas medidas necessárias para aumentar a produção nacional e deixar o país menos dependente do exterior, defendendo ainda como "vital" o apoio à instalação de jovens agricultores, para que haja "modernização" e "continuação" na agricultura portuguesa.

António José Seguro aproveitou a presença num certame que mostra a "pujança" da produção nacional para chamar a atenção para a qualidade dos produtos agrícolas produzidos no país, apelando ao consumo de produtos "que saem das terras e das árvores em Portugal".
9
Enviar por email
Reportar erro
0
pesquisaPor tags:
alertasPor palavra-chave: