Mundo Senado dos EUA confirma Christopher Wray como director do FBI

Senado dos EUA confirma Christopher Wray como director do FBI

O Senado norte-americano deu "luz verde" à nomeação de Christopher Wray para liderar o FBI, em substituição de James Comey, demitido pelo presidente Donald Trump em Maio passado.
Senado dos EUA confirma Christopher Wray como director do FBI
Negócios 01 de agosto de 2017 às 23:48

No passado dia 7 de Junho, o presidente Donald Trump anunciou a nomeação de Christopher A. Wray para liderar o FBI. A indicação de Wray foi feita na rede social Twitter pelo presidente norte-americano, que considerou a sua escolha um "homem de credenciais impecáveis".

A nomeação de Wray surgiu quase um mês depois de o presidente norte-americano ter demitido James Comey da liderança do FBI, tendo sido avançado que a sua saída teve o intuito de travar a investigação ao antigo conselheiro de segurança de Trump, Michael Flynn. O FBI tem ainda em curso, recorde-se, investigações sobre alegado conluio entre a campanha de Donald Trump e responsáveis do Kremlin.

Durante algum tempo, Trump tentou encontrar um nome para substituir Comey, sem sucesso. Chegou a haver pelo menos três desistências, segundo a imprensa norte-americana, antes de surgir o nome de Wray.

Entretanto, a 20 de Julho, os 20 membros da comissão judicial do Senado aprovaram, por unanimidade, a nomeação de Wray para o cargo – ficando a faltar o aval do Senado, que foi dado esta terça-feira, 1 de Agosto, com 92 votos a favor e cinco contra.

Christopher Wray é um advogado especializado em criminalidade económico-financeira e antigo procurador-geral assistente, cargo que desempenhou na administração do presidente George W. Bush. Estava agora a desempenhar funções no sector privado, de acordo com a Reuters e o The Washington Post.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub