Economia Senado põe fim a "shutdown" nos Estados Unidos

Senado põe fim a "shutdown" nos Estados Unidos

O Senado norte-americano chegou a um acordo que permitirá reabrir os serviços públicos do país, depois de três dias de paralisação.
Senado põe fim a "shutdown" nos Estados Unidos
Reuters
Carla Pedro 22 de janeiro de 2018 às 17:51

Ao terceiro dia de "shutdown", os legisladores norte-americanos delinearam um acordo para a reabertura dos serviços do governo federal, anunciou esta segunda-feira o líder dos democratas no Senado, Chuck Schumer.


"Vamos votar hoje para reabrir os serviços do governo", afirmou o senador, citado pela agência Reuters.


Recorde-se que a Câmara dos Representantes e o Senado dos EUA (ambas as casas do Congresso, de maioria republicana) aprovaram no mês passado um projecto de lei que permitiu que as agências federais dos EUA pudessem continuar a ser financiadas até às 23:59 de 19 de Janeiro, evitando assim um "shutdown" a partir de 23 de Dezembro.


Com efeito, a partir dessa data as agências governamentais norte-americanas já não teriam financiamento disponível, pelo que aquela solução temporária impediu que se instalasse o caos nos serviços públicos.


Desta vez, era preciso que se conseguisse novo acordo até à passada sexta-feira ao fim do dia, mas apenas a Câmara dos Representantes aprovou nova solução de curto prazo. Por isso, desde sábado, 20 de Janeiro, que os serviços públicos estão paralisados.


A travar o acordo esteve um impasse em torno de temas como a imigração e a segurança nas fronteiras. Agora, segundo Schumer, os democratas continuarão a negociar com os republicanos um decreto lei que proteja os jovens imigrantes da deportação.

Os democratas têm insistido em que qualquer legislação de financiamento de curto prazo para manter o governo federal em funcionamento deve incluir a protecção dos jovens imigrantes indocumentados – conhecidos como ‘Dreamers’ (sonhadores).

 

O chamado programa DACA (Deferred Action for Childhood Arrivals) protegia da deportação os imigrantes ilegais que tivessem entrado nos EUA ainda crianças, mas Donald Trump interrompeu o funcionamento desse mecanismo e é esse programa que os democratas visam retomar.

 

Os republicanos, por seu lado, disseram que não iriam negociar o que quer que fosse relativamente à imigração enquanto os democratas não lhes dessem os votos necessários para reabrirem os serviços públicos. 

Agora, o senador Schumer veio dizer que chegou a um acordo com o líder republicano do Senado, Mitch McConnel, relativamente ao decreto que viabilizará um novo financiamento de curto prazo do governo federal, desta vez até 8 de Fevereiro, bem como um plano que aborda a questão dos Dreamers.


(notícia actualizada às 18:08)




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
General Ciresp Há 20 horas

Para quem nao sabe o SHUTDOUWN foi originado por uma divergencia entre os Republicanos e os Demacratas sobre criancas elegais dentro do pais,em q os republicanos querem manda-los de volta e os democratas estao contra.Se foi visto fumo branco a sair pela chemine da casa branca,a noticia e excelente.

pub