Política Serviços Secretos venezuelanos revistaram casa da ex-Procuradora-Geral da República

Serviços Secretos venezuelanos revistaram casa da ex-Procuradora-Geral da República

Os Serviços Secretos venezuelanos (Sebin) revistaram na quarta-feira a casa da ex-Procuradora-Geral da República Luisa Ortega Díaz, em Caracas, horas depois de o procurador recém-nomeado, Tarek Saab, ter pedido a prisão do seu marido, Germán Ferrer.
Serviços Secretos venezuelanos revistaram casa da ex-Procuradora-Geral da República
Reuters
Negócios com Lusa 17 de agosto de 2017 às 00:55

Germán Ferrer é deputado ao parlamento e é acusado pelo Presidente Nicolás Maduro de liderar uma rede de extorsão, noticia a agência Efe.

 

"Nesta altura, o Sebin subjuga a minha casa como parte de uma vingança pela luta contra o totalitarismo que existe na Venezuela", afirmou Ortega Díaz, na sua conta na rede social Twitter.

 

A residência da antiga procuradora está cercada por patrulhas e funcionários do Sebin e sem acesso aos jornalistas.

 

No passado dia 5 de Agosto, recorde-se, o Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela destituiu, por unanimidade, Luisa Ortega Diaz (na foto) do cargo de Procuradora Geral da República, depois da audiência preliminar no processo que corre na Justiça contra a magistrada.

 

Luisa Ortega Díaz é vista como uma ameaça ao governo de Nicolás Maduro por ter denunciado a ruptura constitucional no país, salientava nessa altura o jornal O Globo.

 

Os 545 membros da assembleia, que possui poderes especiais sobre outras instituições do Estado, aprovaram por unanimidade a destituição da magistrada, que ficou também impedida de exercer qualquer outro cargo público.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 4 dias

O título da notícia é frandulento. A casa que foi revistada é de German Ferrer deputado oposicionistada mud ligado a rede de extorsão montada na fiscalia g. da república quando a sua esposa, hoje destituida e a cargo com a Justiça, era a fiscal geral. Assim a estória fica toda dita e esclarecida.

pub
pub
pub
pub