Eleições Shinzo Abe dissolve parlamento e convoca eleições gerais

Shinzo Abe dissolve parlamento e convoca eleições gerais

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, anunciou hoje a dissolução da câmara baixa do Parlamento, o que implica a convocação de eleições antecipadas em Outubro, com o objetivo de avançar com reformas económicas.
Shinzo Abe dissolve parlamento e convoca eleições gerais
Reuters
Carla Pedro 25 de setembro de 2017 às 11:36

Shinzo Abe convocou esta segunda-feira, 25 de Setembro, eleições gerais antecipadas no Japão, que deverão ter lugar no próximo dia 22 de Outubro. 

Em conferência de imprensa, Abe anunciou o plano de dissolver a câmara baixa – que, com a câmara dos conselheiros (câmara alta), compõe a Dieta - no final de uma sessão extraordinária que agendou para a próxima quinta-feira.

"Há cinco anos, conseguimos mudar o Governo com o apoio do povo e prometemos levar a cabo uma reforma económica", afirmou Abe em conferência de imprensa, acrescentando: "Agora é o momento para ir mais longe e aplicar as últimas fases [da reforma] para garantir o crescimento".

Antes da conferência de imprensa, o primeiro-ministro nipónico anunciou um plano de estímulo económico de dois mil milhões de ienes (14.972 milhões de euros), que porá em marcha se for reeleito nas eleições antecipadas de outubro.

O primeiro-ministro nipónico espera, segundo fontes governamentais citadas pela Bloomberg e Reuters, que o apoio da opinião pública à sua posição firme face à Coreia do Norte e a ausência de uma oposição coerente ajudem a sua coligação no poder a manter a maioria de dois terços na câmara baixa (câmara dos representantes) do parlamento (Dieta).

O regime de Pyongyang, recorde-se, ameaçou "afundar" o Japão e no espaço de um mês lançou dois mísseis que sobrevoaram o norte da ilha de Hokkaido.

A informação de que Abe faria hoje este anúncio levou a que se auscultasse a opinião pública, que não se mostrou muito favorável: 64,3% dos eleitores japoneses disseram não apoiar o plano do primeiro-ministro de dissolver a câmara baixa e convocar eleições, contra 23,7% a favor, revelou uma sondagem da Kyodo News realizada durante o fim-de-semana.

Quando questionados sobre qual o partido em que que votariam nas eleições para a câmara baixa, 27,7% dos inquiridos disseram que escolheriam o Partido Liberal Democrata (PLD) de Shinzo Abe, contra 8% para o principal partido da oposição, o Partido Democrático (PD), ao passo que 42,2% se mostraram indecisos, refere o Japan Today.

Nesta mesma sondagem, 6,2% dos inquiridos afirmaram que votariam num novo partido alinhado com a governadora de Tóquio, Yuriko Koike, que se prevê que seja lançado esta semana. Por outro lado, 4,6% disseram que optariam pelo Partido Komeito – o parceiro de coligação do PLD, 3,5% penderam para o Partido Comunista Japonês e 2,2% para o Partido de Inovação do Japão.

Numa outra sondagem, do jornal económico Nikkei e da TV Tokyo, conduzida por telefone entre sexta-feira e domingo,  o PLD de Abe contava com 44% dos votos dos inquiridos, contra 8% para o PD, segundo a agência France Presse.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
5640533 Há 3 semanas

2000M de yenes = 14972M de euros? Não dá.

pub