Política SIRESP "não teve qualquer limitação fruto das cativações orçamentais"

SIRESP "não teve qualquer limitação fruto das cativações orçamentais"

O Ministério da Administração Interna (MAI) esclareceu hoje que, em 2016, o projecto SIRESP "não teve qualquer limitação fruto das cativações orçamentais" e que as despesas associadas a este contrato "foram integralmente pagas à operadora".
SIRESP "não teve qualquer limitação fruto das cativações orçamentais"
Miguel Baltazar
Lusa 06 de julho de 2017 às 14:35

"No âmbito dos projectos associados à melhoria do funcionamento da rede SIRESP, da responsabilidade do MAI, importa referir que nenhum deles foi afectado por cativações", refere um esclarecimento do gabinete da ministra Constança Urbano de Sousa.

 

O MAI sublinha também que o Governo anterior "não executou a esmagadora maioria das medidas" que constam do relatório sobre o Sistema Integrado das Redes de Emergência e Segurança em Portugal (SIRESP) pedido pelo Executivo PSD/CDS-PP à empresa de auditoria KPMG.

 

O esclarecimento do MAI surge um dia depois de o líder do PSD ter desafiado o Governo a dizer onde foram feitos os mil milhões de euros de cativações e questionou porque não foi cumprido um reforço de comunicações móveis previsto pelo anterior executivo para o SIRESP.

 

Passos Coelho acusou o actual Governo do PS de "estar em falta" com um reforço das comunicações móveis, que constava do relatório.

 

"Ainda em 2015 fizeram-se os procedimentos concursais para adquirir o que estava em falta, para responder às deficiências detectadas por aquela auditoria (...), porque é que quase dois anos depois há coisas que já deviam estar feitas não estão?", questionou.

 

Em resposta, o gabinete da ministra da Administração Interna adianta que as medidas do relatório da consultora KPMG estão a "ser concretizadas por este Governo", nomeadamente o reforço de cobertura na estação de Fátima, processo de controlo dos terminais que operam na rede SIRESP (cadastro de terminais e controlo de terminais inoperacionais) e aquisição e instalação das antenas satélite nas duas estações móveis da Autoridade Nacional de Protecção Civil, adquiridas em 2015.

 

Outras medidas que o actual executivo está a realizar passam pelo reforço de cobertura da rede SIRESP através da colocação de três novas estações no Entroncamento, Vila Nova de Poiares e Torre Dona Chama (Bragança), cobertura da rede SIRESP no aeroporto de Lisboa e instalação de novas estações na rede de Metro do Porto, completando a cobertura.

 

O MAI refere ainda que está a proceder à implementação da ferramenta de gestão do risco e das necessárias políticas de segurança, além do desenvolvimento do plano de continuidade de serviço (processo de activação de redundâncias da rede e de energia).

 




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Judas a cagar no deserto 06.07.2017

47 mortos é de menor relevância para o nosso 1º ministro.
Pronto, tá bem. . . . Até podiam morrer 1.000, desde que não fosse ele sua santidade. Tristeza de governantes da treta que nós temos. Ainda falavam do PPC. Estamos entregues aos bixhos. Xuxxas da treta. Vão-se enxher de moscas seus meerdas.

A MISS PIGGY E AS SUAS PEIXEIRADAS 06.07.2017

Cara Ministra, deite para o lixo as peixeiradas da MISS PIGGY, que, quando abre a boca, é só porcaria que põe cá para fora.
Curiosamente, não fez a mesma exigência à sua correlegionária de Partido, a Paulinha, quando se quis demitir "irrevogavelmente" e voltou logo, de seguida.

Anónimo 06.07.2017

SIRESP
Só PS votou contra nacionalização no SIRESP

há que honrar os "compromissos".
ERA UMA BOA OCASIÃO PARA ROMPER COM ESTA PPP.
É VERDADE QUE ELA TEM LIGAÇÕES COM GENTE "IMPORTANTE" , BPN,BES E PT., MAS JÁ QUE NÃO PODEMOS ROMPER COM AS OUTRAS, PELO MENOS IRÍAMOS ARRECADAR AQUI UNS MILHÕES.
RESUMINDO:
OS POLITICOS SÃO MESMO TODOS IGUAIS!

pertinaz 06.07.2017

COMEÇA A PERCEBER-SE A VERDADEIRA DIMENSÃO DA AUSTERIDADE DE ESQUERDA

CEGA E INCOMPETENTE...

JÁ MATOU 64 DOS NOSSOS E OUTROS SE ARRISCAM A MORRER ÀS MÃOS DE QUEM ROUBOU AS ARMAS DE GUERRA...!!!

ESCUMALHA DE CRIMINOSOS AMPARADOS PELOS JORNALEIROS AVENÇADOS... VIVEMOS EM DITADURA...!!!

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub