Política Sócrates diz que os seus governos são associados a um tempo em havia projetos

Sócrates diz que os seus governos são associados a um tempo em havia projetos

"Quando ouço alguns falarem de política, o que recordo é que a política é sempre acção, é fazer coisas, é construir, não havendo político que não tenha imaginação", afirmou o ex-primeiro-ministro. E garantiu: "Nunca me conseguiram afastar do coração dos militantes do PS."
Sócrates diz que os seus governos são associados a um tempo em havia projetos
Lusa 08 de Outubro de 2016 às 10:05

O ex-primeiro-ministro José Sócrates afirmou esta sexta-feira, 7 de Outubro, que quando ouve falar do anterior governo PS, que liderou, ouve falar do tempo em que se faziam coisas e em que havia projectos de modernização para o país.

 

"Os projectos foram tantos e em tantos domínios", afirmou na sexta-feira à noite no debate "Conversas da República", promovido pelo PS/Vila Nova de Famalicão.

 

"Quando ouço alguns falarem de política, o que recordo é que a política é sempre acção, é fazer coisas, é construir, não havendo político que não tenha imaginação", acrescentou.

 

José Sócrates explicou que a diferença entre um sociólogo e um político é que o sociólogo olha para a realidade para a descrever e explicar e o político com o intuito de a melhorar e ir mais além.

 

O antigo governante referiu ainda que "tem ouvido para aí umas coisas" quanto à sua ligação ao PS, realçando que "nunca" deixará de responder a convites por parte do partido.

 

"Nunca me conseguiram afastar do coração dos militantes do PS", considerou.

 

O ex-primeiro-ministro abordou ainda a temática dos refugiados dizendo que a Europa tem dado um "espetáculo lamentável" ao não receber as pessoas que fogem à guerra e que têm o direito de ser acolhidas.

 

Classificando a postura da Europa como "deveras preocupante", José Sócrates salientou que é importante que ela olhe para si própria e volte a ser a Europa dos valores.


 




A sua opinião39
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado SOUDAQUI Há 3 semanas

Pois havia...conduzir o país à banca rota. E conseguiu!

comentários mais recentes
virato.apaulada Há 3 semanas

José Socrates. Para bem ou para mal, o ciclo que findou tem um ícone: Sócrates. Deificado e diabolizado, sempre em situação adversa, ele foi um político invulgar. Começou por reduzir o défice, reformou a Segurança Social, a Escola e a Saúde. Modernizou costumes atávicos. Apostou na ciência e fez do país o que mais cresceu neste domínio. Apostou nas energias renováveis, em produtos exportáveis de alta tecnologia, e os resultados, que são lentos, já se começam a ver. Mas afrontou as corporações e começou a perder.. 16 | 06 | 2011 J.L. Pio Abreu / Destak

Anónimo Há 3 semanas

Este tipo é e será sempre o maior aldrabão da história , embora ah gora haja um que pelos vistos aprendeu a lição pois era o nº2. http://assinatura.ionline.pt/artigo/526000/professor-reconheceu-ter-ajudado-socrates-a-fazer-tese-de-mestrado?seccao=Portugal_i

Anónimo Há 3 semanas

Se não fossem esses investimentos , como é que um simples vereador de uma Camara tinha tantos milhões? E pelos vistos caiu a tempo ,senão ele e o amigo Salgado faziam o TGV e a ponte , e nós teriamos que pagar mais uns milhões para o bolso deles.

Luis António Moutinho Há 3 semanas

Um tempo em que as aves de rapina não pousavam.!

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub