Política Sondagem: Maioria diz que Executivo agiu bem e que BE contribuiu mais que PCP para o Orçamento

Sondagem: Maioria diz que Executivo agiu bem e que BE contribuiu mais que PCP para o Orçamento

Os inquiridos de uma sondagem da Aximage consideram ainda que o episódio do recuo do PS na taxa das renováveis secundada pelo Bloco não vai pôr em risco o apoio dos bloquistas à geringonça.
Sondagem: Maioria diz que Executivo agiu bem e que BE contribuiu mais que PCP para o Orçamento
Miguel Baltazar
Paulo Zacarias Gomes 10 de dezembro de 2017 às 17:33
Mais de metade dos (58,1%) dos inquiridos de uma sondagem realizada para avaliar os dois anos de Governo liderado pelo PS considera que o Executivo actuou bem (49,6%) ou muito bem (8,5%) naquele intervalo de tempo. Quase um terço diz que a acção do Executivo foi "assim-assim" e 10,4% pensam que a equipa liderada por António Costa esteve mal ou muito mal.

Este é o resultado de uma sondagem da Aximage para o Correio da Manhã e para o Negócios, que conclui ainda por uma maior percepção da intervenção dos bloquistas na feitura do Orçamento do que da do outro partido que suporta o Governo, o PCP.

Entre os inquiridos, 26,1% consideraram que ao contributo do Bloco de Esquerda para o Orçamento do Estado de 2018 foi grande, ao passo que 40,4% pensam que o partido liderado por Catarina Martins teve um contributo médio.

Já em relação à percepção do contributo do Partido Comunista, os inquiridos vêm o partido liderado por Jerónimo de Sousa com uma menor intervenção no desenho do documento orçamental final. Entre os participantes na sondagem, 15% entendem que o PCP teve uma grande intervenção, face a 39,3% que entendem que a intervenção foi média.

Contas feitas, 66,5% dos inquiridos (praticamente dois terços) consideram que o Bloco teve uma média ou grande intervenção no OE, ao passo que 54,3% consideram que o PCP teve intervenções dessa magnitude.

O estudo debruça-se ainda sobre a solidez do apoio ao Governo, nomeadamente por parte do Bloco de Esquerda, depois de o PS ter inviabilizado a taxa sobre as renováveis. Mais de metade dos consultados (55,8%) acredita que este episódio não vai colocar em causa o apoio dos bloquistas ao Executivo. Um terço (33,3%) considera que sim, que este caso pode ameaçar o apoio ao Governo.




pub