Eleições Sondagem: PS consegue 42% dos votos contra 26% do PSD

Sondagem: PS consegue 42% dos votos contra 26% do PSD

As intenções de voto no Bloco de Esquerda e no CDS diminuem, com os inquiridos a transferirem os seus votos para o PS e PSD, numa sondagem da Aximage.
Sondagem: PS consegue 42% dos votos contra 26% do PSD
Miguel Baltazar
Sara Antunes 11 de fevereiro de 2017 às 12:28

O PS continua a crescer nas sondagens, ficando com 42% das intenções de voto na sondagem da Aximage para o Negócios e Correio da Manhã, publicada este sábado, 11 de Fevereiro.

 

O partido liderado por António Costa mantém assim a tendência de crescimento que verifica desde Novembro, depois de ter observado uma queda em Outubro.

 

Mas não é o único. O PSD também aumenta na sondagem, passando de 25,1%, em Janeiro, para 26,4%, no inquérito de Fevereiro. É a primeira vez, desde Outubro, que o partido de Pedro Passos Coelho aumenta as intenções de voto.

 

A descer estão as intenções de voto no Bloco de Esquerda, que conta com 8,4%, e o CDS, que passou para 5%.

 

A CDU voltou a crescer, conseguindo 7,9% das intenções de voto.

 

A maioria dos portugueses faz uma avaliação positiva de António Costa como primeiro-ministro, com 41,3% aconsiderar o desempenho tem sido melhor do que as expectativas e 46,4% considera que está a cumprir com a expectativas. Appenas 10,7% considera que o desempenho esta a ser pior. 

 

Já como líder partidário, António Costa observou uma descida, à semelhança dos restantes líderes, com excepção para Passos Coelho, que ainda assim é o responsável com pior avaliação.

 

Quando questionados sobre em quem confia mais para primeiro-ministro: António Costa ou Passos Coelho, 66,1% escolhe o socialista contra 25% que preferem o líder social-democrata.

 

Marcelo Rebelo de Sousa continua nas boas graças dos portugueses, com 92,6% dos inquiridos a considerarem que a avaliarem como "bem" a actuação do Presidente da República. 

FICHA TÉCNICA

Universo: indivíduos inscritos nos cadernos eleitorais em Portugal com telefone fixo no lar ou possuidor de telemóvel. 

Amostra: aleatória e estratificada (região, habitat, sexo, idade, escolaridade, actividade e voto legislativo) e representativa do universo e foi extraída de um sub-universo obtido de forma idêntica. A amostra teve 601 entrevistas efectivas: 289 a homens e 312 a mulheres; 60 no Interior Norte Centro, 81 no Litoral Norte, 105 na Área Metropolitana do Porto, 105 no Litoral Centro, 170 na Área Metropolitana de Lisboa e 80 no Sul e Ilhas; 102 em aldeias, 161 em vilas e 338 em cidades. A proporcionalidade pelas variáveis de estratificação é obtida após reequilibragem amostral. 

Técnica: Entrevista telefónica por C.A.T.I., tendo o trabalho de campo decorrido nos dias 5 a 8 de Fevereiro de 2017, com uma taxa de resposta de 83,0%. 

Erro probabilístico: Para o total de uma amostra aleatória simples com 601 entrevistas, o desvio padrão máximo de uma proporção é 0,020 (ou seja, uma "margem de erro" - a 95% - de 4,00%). 


Responsabilidade do estudo: Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direcção técnica de Jorge de Sá e de João Queiroz.




A sua opinião29
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 13.02.2017

Só agora percebo as "questiúnculas" sobre a GDD!!! Contra factos não há argumentos..."Ovelha que berra, bocado que perde"... prá frente "Geringonça" que ainda vais dar muito dinheiro para exportação....

previdente 13.02.2017

É preciso cuidado e não embandeirar em arco: o diabo não desiste das suas almas, muito menos do pote! E se pagar o que terá ficado a dever à Segurança Social e declarar os rendimentos obtidos na Tecnoforma e se se deixar das cricas da CGD ainda pode aparecer disfarçado de anjinho.

Vamos correr com o diabo,votante do PSD. 13.02.2017

O diabo diz que os sérios a que são os ladrões,o povo abriu os olhos votou 62%mas agora vão ser 80%para a geringonça,que estão a fazer um bom trabalho,o DIABO nunca teve vergonha do que fez ao País.com eleições vão levar uma grande derrota.

guedes 13.02.2017

O PSD tem 26% ? Um partido, cujo líder não pagou os impostos, que não se lembrava de ter recebido salário enquanto deputado, tem 26% ? Aí povo bes ta, mostra o que vales.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub