Política Soros diz que May não deverá manter-se no cargo e antecipa recuo de Wall Street

Soros diz que May não deverá manter-se no cargo e antecipa recuo de Wall Street

É improvável que a primeira-ministra britânica, Theresa May, se mantenha no poder, numa altura em que o Reino Unido se prepara para sair da União Europeia, considera o investidor George Soros. Sobre Wall Street, diz que a subida das bolsas não irá manter-se.
Soros diz que May não deverá manter-se no cargo e antecipa recuo de Wall Street
Carla Pedro 19 de janeiro de 2017 às 21:07

"Na minha opinião, é improvável que a primeira-ministra May se mantenha no poder", afirmou Soros em entrevista à Bloomberg TV, à margem do Fórum Económico Mundial que está a decorrer em Davos.


O investidor, que ganhou mil milhões de dólares a apostar na queda da libra em 1992, sendo conhecido como o homem que bateu o Banco de Inglaterra, considera que o Brexit será um longo processo e que as pessoas irão perceber que estão a seguir na direcção errada.

Soros sublinhou que o ano de 2016 foi um "desastre" para a União Europeia, dando como exemplo a decisão dos britânicos de sair da UE e outras eleições que tiveram lugar no âmbito do bloco comunitário.

Segundo o multimilionário, a União Europeia está num "processo de desintegração". "Há que reconhecer que a União Europeia se tornou demasiado complicada e que as pessoas estão alienadas. Os partidos anti-europeus estão a ganhar força", concluiu.

Bolsas norte-americanas vão recuar

George Soros falou também sobre as bolsas norte-americanas e afirmou que a euforia que se tem observado entre os investidores desde a vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais dos EUA acabará assim que a incerteza termine.

"A incerteza está no auge e, na verdade, a incerteza é a inimiga dos investimentos de longo prazo", declarou o chairman da gestora Soros Fund Management.

"Não creio que vá haver um bom desempenho das bolsas. Neste momento estão a celebrar, mas quando a realidade chegar será isso que prevalecerá", acrescentou, citado pela Bloomberg.

As declarações de Soros pressionam as bolsas do outro lado do Atlântico, com os índices de Wall Street a encerrar em terreno negativo.


O investidor, que nasceu na Hungria e que mais tarde se nacionalizou americano, perdeu quase mil milhões de dólares com a escalada bolsista de Wall Street que se seguiu à vitória de Trump, de acordo com o The Wall Street Journal.


(notícia actualizada às 22:53)




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Joao Stotz 20.01.2017

Soros só vai amargar derrotas esse ano, ainda bem.

Anónimo 20.01.2017

Há mto mais mundo pra alem da EU.Se por um lado podem diminuir as trocas/ relações com Bruxelas caem os entraves de relacionamento com todo o mundo incluindo a Russia.Tal como os EUA sairá do TPI pois tem armamento nuclear e capacidade de reação bélica q EU não tem.O Brexit é pra qem pode n pra qer

pub
pub
pub
pub