União Europeia Soros doou quase meio milhão de euros para travar o Brexit

Soros doou quase meio milhão de euros para travar o Brexit

O investidor bilionário apoiou, através da sua fundação, o grupo pró-UE Best for Britain, que tem como missão travar o Brexit e realizar um segundo referendo.
Soros doou quase meio milhão de euros para travar o Brexit
Reuters
Rita Faria 08 de fevereiro de 2018 às 12:27

George Soros, o investidor que ficou conhecido por ter apostado contra a libra britânica em 1992, contribuiu com 400 mil libras (cerca de 451,3 mil euros) através da sua fundação para o grupo Best for Britain, que tem como objectivo travar o Brexit.

 

A informação foi confirmada pelo presidente do grupo pró-UE e inicialmente avançada pelo Daily Telegraph.

 

"A fundação de George Soros, juntamente com outros dadores, fez contribuições significativas para o nosso trabalho", afirmou Mark Malloch-Brown, presidente do Best for Britain, num email enviado à Reuters. "Através da fundação, [Soros] contribuiu com 400 mil libras".

 

O grupo fundado por Gina Miller tem como missão travar a saída do Reino Unido da União Europeia e realizar um novo referendo sobre o tema, depois de a consulta pública de Junho de 2016 ter resultado na vitória do Brexit, com 51,9% dos votos, contra os 48,1% que votaram a favor da permanência no bloco regional.

 

"Consideramos que o povo britânico merece ter uma última palavra sobre o Brexit e acreditamos que o país foi levado em direcção a uma falsa e perigosa reviravolta", acrescentou Malloch-Brown, em declarações à agência noticiosa. "Este é um esforço democrático e patriótico para recuperar o nosso futuro e agradecemos o apoio dados aos nossos esforços".

 

Em reacção à notícia, o governo de Theresa May sustentou que o povo britânico fez a sua escolha em 2016 e garantiu que não irá realizar um segundo referendo sobre o Brexit.

 

"Há muitos grupos políticos e campanhas neste país, o que está totalmente correcto, e é o que se espera numa democracia", afirmou o porta-voz do governo em declarações aos jornalistas esta quinta-feira. "A posição da primeira-ministra sobre esta matéria é clara, o país votou a favor da saída da UE, é o que vamos cumprir e não haverá um segundo referendo".

 

A Reuters recorda que, em 1992, George Soros usou o seu Quantum Fund para apostar – com sucesso – que a libra estava sobrevalorizada face ao marco alemão, obrigando o então primeiro-ministro John Major a retirar a libra do Mecanismo Europeu de Taxas de Câmbio.

 

No ano passado, o famoso investidor disse que o Reino Unido estava a aproximar-se de um ponto em que a economia iria abrandar de tal maneira que o Brexit poderia mesmo ser revertido.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 08.02.2018

Tanta polémica com eleições EUA e aqui não há interferência direta na politica interna do Reino Unido?Os ingleses estão a perder qualidades ?

Anónimo 08.02.2018

Ai se o SOROS fosse RUSSO!

Anónimo 08.02.2018

É verificar, se isso acontece ,quem beneficia dos apoios deste SNR. em Portugal ou se pelo contrário não existe.Há dúvidas ?Esclareçam.

Johnny 08.02.2018

Este agiota está por trás da imigração ilegal em massa para a Europa !
Este individuo tem de ser ELIMINADO

ver mais comentários
pub