Mundo Stock de IDE da UE no resto do mundo cresceu 14,9%

Stock de IDE da UE no resto do mundo cresceu 14,9%

O "stock" de investimento directo estrangeiro da União Europeia no resto do mundo ascendeu a perto de 7 biliões de euros no final de 2015. Subindo 14,9% face ao ano anterior.
Stock de IDE da UE no resto do mundo cresceu 14,9%
Reuters
Negócios 12 de janeiro de 2017 às 13:36

O "stock" de investimento directo da União Europeia (UE) no resto do mundo foi de quase 7 biliões de euros no final de 2015, aumentando 14,9% face a 2014, revelou o Eurostat, na quinta-feira, dia 12 de Janeiro. O aumento no "stock" de investimento estrangeiro na Europa foi ainda maior, mas ficou-se pelos 5,8 biliões de euros.


"O ‘stock’ líquido de investimento directo estrangeiro detido pela União Europeia no resto do mundo ascendeu a 6.894 mil milhões de euros no final de 2015, subindo 14,9% face ao final de 2014", escreve o gabinete de estatísticas da União Europeia na nota que divulgou à imprensa.

Em sentido inverso, "o ‘stock’ de investimento do resto do mundo aumentou ainda mais, para 5.842 milhões de euros no final de 2015", um aumento de 22,8%, detalha o Eurostat.

Contas feitas, a União Europeia manteve uma posição líquida de investimento ligeiramente superior a 1 bilião de euros contra o resto do mundo.

Os principais destinos de investimento europeu são os EUA (2.6 biliões de euros ou 37% do total), seguidos da Suíça, Bermudas, Brasil, China e o Canadá. Já os principais investidores na União Europeia são os EUA (2,4 biliões de euros, ou 41.7% do total), a Suíça, as Bermudas, Jersey e Canadá.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar