Suíça propõe salário mínimo de 3.300 euros
24 Janeiro 2012, 13:16 por Jornal de Negócios Online | negocios@negocios.pt
Enviar por email
Reportar erro
Os sindicatos querem dar uma vida "decente" aos cidadãos por isso pretendem fixar o valor do salário mínimo em 3300 euros. Os patrões não concordam e dizem que é preciso ter em atenção as desigualdades regionais.
“Viver de forma decente”. É assim que a União Sindical da Suíça (USS) classifica a proposta que lançou e que prevê a fixação de um valor para o salário mínimo no país.

De acordo com o jornal espanhol “El Mundo”, este sindicato propôs que seja inscrito na Constituição da Suíça que o salário mínimo auferido seja de 3300 euros (4000 francos suíços).

Assim, defende o economista chefe deste sindicato, Daniel Lampart, “com esta iniciativa queremos garantir que todos têm um salário digno na Suíça”. Esta medida, de acordo com a mesma fonte, pode abranger cerca de 400 mil cidadãos.

Mas nem todos defendem a fixação de um valor para o salário mínimo. Os órgãos que representam os patrões defendem que a definição de valor generalizado “é uma solução má”. Ruth Derrer Balladore, o líder da União Patronal da Suíça (UPS), citado pela publicação espanhola, adianta que “existem diferenças regionais importantes ao nível dos salários e do custo de vida”.

“Em algumas áreas 4000 francos (3300 euros) podem ser suficientes para uma vida digna, enquanto em Zurique, 5000 francos (4.100 euros) às vezes não são suficientes” frisou ainda o responsável. Balladore defendeu ainda que os sindicatos têm apenas em conta famílias em que apenas um dos membros trabalha “mas muitas vezes há duas fontes de rendimento”.
Enviar por email
Reportar erro
pesquisaPor tags: