Rendas Tabacaria com 144 anos fecha por causa da Lei das Rendas

Tabacaria com 144 anos fecha por causa da Lei das Rendas

Apesar de estar na lista da lojas históricas de Lisboa, a Tabacaria Martins, ao Bairro alto, vai dar lugar a um edifício de apartamentos de luxo. A alteração à lei que permitirá proteger estes estabelecimentos continua a marinar no Parlamento.
Tabacaria com 144 anos fecha por causa da Lei das Rendas
DR/Google Earth
Negócios 06 de Janeiro de 2017 às 10:07

A notícia foi avançada pelo site de notícias "O Corvo" e está esta sexta-feira nos vários jornais e rádios: a Tabacaria Martins, uma das históricas da cidade de Lisboa, fundada há 144 anos no Largo do Calhariz, vai encerrar portas no final do mês. No espaço que agora ocupa, o Palácio Sandomil,  nascerá um edifício de apartamentos de luxo que, adianta a TSF, já estão à venda e um T4 custa mais de três milhões de euros.

 

A Tabacaria Martins aparece referenciada nos guias da cidade e mantém ainda todo o simbolismo associado aos tempos em que abriu portas, no século XIX, em 1872, com as suas paredes revestidas de estantes em madeira. A proprietária, Ana Martins, é neta do fundador, Manoel Francisco Nunes Martins,  e, escreve o Corvo, fica desempregada, tal como os três funcionários do estabelecimento.

 

O Palácio Sandomil foi vendido a um fundo imobiliário inglês que agora se recusa a renovar o contrato de arrendamento. A Tabacaria faz parte de um conjunto de 63 "Lojas com História", um levantamento feito pela Câmara de Lisboa, mas isso de nada lhe servirá, apesar de, segundo escreve o Público, a autarquia afirmar que "está a acompanhar a situação".

 

No Parlamento um projecto de lei de alteração à Lei das Rendas prevê uma protecção acrescida para as chamadas Lojas com História. No entanto, o diploma, apresentado em Abril do ano passado, continua a marinar e ainda não foi aprovado, estando previsto que tenha um novo impulso durante o início de 2017.

 

Carla Salsinha, presidente da União de Associações do Comércio e Serviço, em declarações à TSF lamenta que ser "Loja com História" não sirva, na prática, para nada e alerta para o facto de que, em resultado da lei do arrendamento, muitos destes estabelecimentos correm o sério risco de ser confrontados em 2017 e 2018 com aumentos de renda que vão obrigar os empresários a desistir do negócio.




A sua opinião20
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 semana

Uma tabacaria é um negócio, logo deve ser gerida com isso em mente...porque se vão olhar para importância histórica, a tabacaria tem de cobrar os preços que cobra em proporcional ao rendimento do imovel..

Se paga uma renda que custa 100 vezes menos, logo vende a 1% do preço do mercado...claro que é ridiculo.. tão ridiculo como não pagar a renda de mercado....

Em 144 anos, já era altura de adquirir o espaço em alguma altura desse 144 anos e já tinha resolvido o problema.

Alem disso se o investimento vai gerar apartamentos de 3 milhões de euros por T4..diria que para a economia o melhor é mesmo ser eficiente...é que o IMI que cada um desses T4 a 3 Milhoes vai pagar ao estado é uma batelada!!!

Ou então vivemos no passado saudosista, vivemos como à 144 anos e passamos fome como nessa altura!!!

Eu tambem gostava da minha praia favorita sem tantos cafés e mais minha, mas a verdade é quando era minha não gerava dinheiro, e como os cafés há mais umas dezenas de pessoas a ter dinheiro..

comentários mais recentes
Já fecha é tarde Há 1 semana

144 anos a pagar uma esmola de renda. Tchau

Fernando Gonçalves Há 1 semana

Falta de referir na peça jornalística que o senhorio do espaço em questão, deveria receber uma monção honrosa por aguentar 144 anos de rendas baixas.

Anónimo Há 1 semana

144 anos a fomentar o cancro, é melhor fecharem.

Anónimo Há 1 semana

Agradeçam à tia Assunção Cristas e aos seus padrinhos Passos e Portas por uma lei das rendas que permitiu aumentos de 300%... queriam o quê preços de mercado era ?

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub