Emprego Taxa de desemprego de 2016 cai para 11,1%

Taxa de desemprego de 2016 cai para 11,1%

O taxa de desemprego no último trimestre de 2016 manteve-se inalterada nos 10,5% do trimestre anterior, implicando uma taxa média anual de 11,1%, abaixo dos 12,4% de 2015.
Rui Peres Jorge 08 de fevereiro de 2017 às 11:19
A taxa de desemprego em 2016 caiu para 11,1%, revelou o INE esta quarta-feira, 8 de Fevereiro, o que compara com os 12,4% de 2015. Este é o resultado da estabilização da taxa trimestral em 10,5%. Portugal registou um número médio de desempregados de 573 mil pessoas ao longo do ano passado, menos 73,5 mil que em 2015, avançou ainda o instituto.

"Em termos de média anual, a taxa de desemprego situou-se em 11,1% em 2016, o que representa uma diminuição de 1,3 p.p. em relação a 2015", lê-se na nota do INE, que dá conta de uma taxa de desemprego entre jovens (15 a 24 anos) de 28%.

O valor global saiu em linha com as últimas previsões das várias instituições nacionais e internacionais, mostram os números compilados pelo Conselho das Finanças Públicas, que revelam ainda que a expectativa é que o desemprego continue a cair em 2017 para um valor entre os 10% e 10,7%.   

A taxa de desemprego, que mede o peso da população desempregada sobre a população activa, traduz uma "população desempregada, estimada em 573,0 mil pessoas em 2016" que "diminuiu 11,4% em relação ao ano anterior (menos 73,5 mil)".

Entre os desempregados, quase dois terços estavam nessa situação há mais de um ano, destaca ainda o instituto: "A proporção de desempregados à procura de emprego há 12 e mais meses (longa duração) foi de 62,1%, tendo diminuído 1,5 pontos percentuais em relação ao ano anterior".

Já o número médio de empregos subiu 1,2% face a 2015 ou, 56,5 mil, ascendendo a 4.605,2 mil pessoas,o que resulta numa taxa de emprego (peso sobre população activa) de 52%, mais 0,7 pontos que em 2015.

O instituto de estatística faz também o balanço à população activa, ou seja, ao número de pessoas em idade de trabalhar que ou estavam a trabalhar ou que, estando desempregados procuram emprego. Na média do ano foram 5.178,3 pessoas, menos 0,3% (ou 16,9 mil) que em 2016, do que resulta uma taxa de actividade (peso na população activa na total) de 58,5%, menos 0,1 pontos que em 2015.


Portugal fecha ano com desemprego de 10,5%


Os dados trimestrais apurados pelo INE apontam para uma taxa de desemprego de 10,5% entre Outubro e Dezembro, a que correspondem cerca de 543,2 mil desempregados. Estes dados representam uma ligeira descida entre trimestres no número de pessoas sem emprego em Portugal (menos 6,3 mil) e uma estabilização da taxa de desemprego face ao registado entre Junho e Setembro.   

"A taxa de desemprego do 4.º trimestre de 2016 foi de 10,5%. Este valor manteve-se inalterado face ao do trimestre anterior e é inferior em 1,7 pontos percentuais (p.p.) ao do trimestre homólogo de 2015", escreve o INE na nota divulgada à imprensa, que avança que "a população desempregada, estimada em 543,2 mil pessoas, registou uma diminuição trimestral de 1,2% (menos 6,3 mil pessoas) e uma diminuição homóloga de 14,3% (menos 90,7 mil)".


O INE avança ainda que nos últimos três meses do ano estiveram empregadas 4.643,6 mil pessoas, o que traduz um ligeiro recuo em termos trimestrais, e uma melhoria homóloga: "A população empregada, estimada em 4.643,6 mil pessoas, registou um decréscimo trimestral de 0,4% (menos 17,9 mil) e um acréscimo homólogo de 1,8% (mais 82,1 mil)". Estes valores traduzem-se numa taxa de emprego (peso sobre população activa) de 52,4%.

A população activa no último trimestre do ano foi de 5.186,8 mil pessoas, menos 0,5% (ou 24,2 mil) que no trimestre anterior, e uma queda de 0,2% (ou 8,6 mil) face aos últimos três meses de 2015.



A sua opinião14
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado surpreso Há 1 semana

"CAI"? Que grande "queda"ó Jorge...Todos os dias,vens fazer a "agiprop" por conta dos "xuxas"

comentários mais recentes
Ao Sr Surpreso Há 1 semana

Desculpe a frontalidade, é burro?

média? Há 1 semana

E qual é a média dos últimos 100 anos? Tótós o que conta É HOJE

eheh A manha da noticia com a média Há 1 semana

Pois.... a média de 11,1% não é para aqui chamada, ATUALMENTE SÃO 10,5%, Querem fazer a média desde que existe Portugal? é lixado engolir sapos

Anónimo Há 1 semana

Antigamente descia devido à emigração. Agora é devido a termos mais empregos. Depende da leitura que se quer fazer.

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub