Europa Taxa de desemprego na Alemanha recua para mínimo histórico  

Taxa de desemprego na Alemanha recua para mínimo histórico  

A maior economia europeia volta a dar sinais de aceleração do crescimento no arranque de 2017.  
Taxa de desemprego na Alemanha recua para mínimo histórico  
Reuters
Nuno Carregueiro 31 de janeiro de 2017 às 09:12

A taxa de desemprego na Alemanha desceu em Janeiro para 5,9%, o registo mais baixo desde a reunificação do país. O número de pessoas fora do mercado de trabalho, tendo em conta os dados ajustados da sazonalidade, desceu em 26 mil para um total de 2,61 milhões, anunciou a Agência Federal do Trabalho.

 

Os números surpreenderam as expectativas dos economistas, que apontavam para a manutenção da taxa de desemprego em 6% e a redução de apenas 5 mil desempregados.  

 

Estes números vêm assim confirmar o momento de aceleração do crescimento da maior economia, que de acordo com o Bundesbank terá crescido 0,5% no quarto trimestre.

 

A França revelou esta terça-feira que o PIB cresceu 0,4% no quarto trimestre, o que também traduz uma aceleração. Com as duas maiores economias do euro a darem sinais positivos e a inflação na região também a recuperar, crescem as pressões para o Banco Central Europeu começar a reduzir o programa de estímulos.

 

Ainda hoje o Eurostat vai publicar os dados do PIB da Zona Euro no quarto trimestre, mais um dado importante para avaliar a evolução da economia da região. Será também conhecida a primeira estimativa para a inflação de Janeiro.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 31.01.2017

"O número de pessoas fora do mercado de trabalho...". Esta afirmação não está correta. Os desempregados estão no mercado de trabalho. Se estivessem fora, não seriam considerados desempregados.

pub
pub
pub
pub