União Europeia Desemprego na Zona Euro em mínimo de sete anos. Portugal com segunda maior descida

Desemprego na Zona Euro em mínimo de sete anos. Portugal com segunda maior descida

O número de pessoas sem trabalho na Zona Euro desceu em 1,256 milhões no espaço de um ano.
Desemprego na Zona Euro em mínimo de sete anos. Portugal com segunda maior descida
Paulo Duarte
Nuno Carregueiro 31 de janeiro de 2017 às 10:14

A taxa de desemprego na Zona Euro voltou a descer em Dezembro, terminando o ano nos 9,6%, o que representa o registo mais baixo desde Maio de 2009 e compara com os 9,7% registados em Novembro. Os economistas previam uma subida para 9,8%.

 

De acordo com o Eurostat, o número de desempregados baixou em 121 mil na Zona Euro no último mês do ano. Comparando com Dezembro de 2015, a taxa de desemprego baixou 9 décimas e o número de desempregados baixou em 1,256 milhões.

Descida em Portugal foi a segunda maior do euro

 

A descida da taxa de desemprego na Zona Euro deve-se à descida registada nas principais economias, com destaque para a Alemanha, onde a taxa de desemprego desceu uma décima e atingiu um mínimo desde a reunificação do país.

 

A maior economia do euro tem a taxa de desemprego mais baixa entre todos os países da Zona Euro, que o Eurostat calcula em 3,9%. Na União Europeia é a República Checa que tem a taxa mais reduzida (3,5%).

 

No sentido oposto está a Grécia, com a taxa mais elevada (23%), seguindo-se a Espanha (18,4%). Ainda assim, Espanha foi o país da Zona Euro onde a taxa de desemprego mais recuou face a Dezembro de 2015, quando se situava em 20,7%.  

 

Em segundo lugar surge Portugal, já que a taxa de desemprego registada em Dezembro está dois pontos percentuais abaixo do verificado em Dezembro de 2015. O INE anunciou ontem que a taxa de desemprego em Portugal caiu para 10,2% no último mês do ano passado, o que equivale a um mínimo desde Março de 2009.

 

Apesar da tendência de descida da taxa de desemprego em Portugal, a taxa é a quinta mais elevada entre os países do Euro, só superada pelo registo de Itália (12%), Chipre (14,3%), Espanha (18,4%) e Grécia (23%).  


  

(Notícia actualizada às 10:39 com mais informação)


A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 31.01.2017

e q tipo de emprego é?

Anónimo 31.01.2017

ALERTA: COFINA A AÇÃO DO MERCADO IBERICO COM MAIS POTENCIAL, SEGUNDO O BPI
BPI atribui target de 0,46 € à COFINA e diz ser a ação ibérica com menor PER
ler em: http://www.jornaldenegocios.pt/mercados/bolsa/research/detalhe/bpi-corta-avaliacao-a-oito-cotadas-nacionais-e-sobe-cinco-precos-alvo?

Anónimo 31.01.2017

Com tanta gente empregada a Seg. Social deve estar a rebentar com tanta receita(TSU) a menos ke haja LADRÕES44.

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub