Américas Taxa de desemprego nos EUA cai para mínimo de 16 anos apesar de menos emprego criado

Taxa de desemprego nos EUA cai para mínimo de 16 anos apesar de menos emprego criado

A taxa de desemprego desceu uma décima, mas o número de postos de trabalho criados ficou abaixo do esperado.
Taxa de desemprego nos EUA cai para mínimo de 16 anos apesar de menos emprego criado
Bloomberg
Nuno Carregueiro 02 de junho de 2017 às 13:52

A economia norte-americana criou 138 mil novos empregos em Maio, um número que ficou muito abaixo das previsões dos economistas, que apontavam para 182 mil novos postos de trabalho.

 

Os números foram revelados pelo Departamento do Trabalho dos EUA, que também reviu em baixa os dados dos meses anteriores, subtraindo 66 mil empregos aos números de Março e Abril.

 

Os números de Maio representam um forte abrandamento na criação de emprego, que nos últimos 12 meses atingiu uma média de 181 mil. De acordo com a Reuters, a economia norte-americana tem de criar cerca de 75 a 100 mil empregos por mês para compensar o aumento da população activa.

 

Apesar destes números que apontam para um enfraquecimento do mercado de trabalho na maior economia do mundo, a taxa de desemprego nos Estados Unidos voltou a descer em Maio. Recuou uma décima para 4,3%, o que representa um mínimo desde Maio de 2001.

 

O relatório revelado esta sexta-feira era bastante aguardado pelo mercado, já que poderia dar sinais sobre se a Reserva Federal vai mesmo avançar este mês (reunião de 13 e 14 de Junho) com novo aumento da taxa de juro.

 

O banco central dos Estados Unidos tem sinalizado que se o mercado de trabalho continuar a crescer ao ritmo recente, a política monetária prosseguira a trajectória definida, que passa por mais continuar a agravar o custo do dinheiro. A expectativa do mercado aponta para mais duas subidas em 2017.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Conselheiro de Trump Há 3 semanas

America esta como o petroleo:quando dizem q vao cortar a exploracao dele,para o fazer subir no mercado,os paises dizem q tem as bilhas cheias dele.O caso americano prende-se com o facto de q foi noticia q em breve(2 semanas)os juros vao nova/ sofrer um impulso.Diz o canhoto:o povo e quem mais ordena

pub
pub
pub
pub