Conjuntura Taxa de inflação recua em Junho para mínimo do ano

Taxa de inflação recua em Junho para mínimo do ano

O abrandamento nos preços dos alimentos e bebidas explica a descida da taxa de inflação homóloga para 0,9%.
Taxa de inflação recua em Junho para mínimo do ano
Nuno Carregueiro 12 de julho de 2017 às 11:19

O índice de preços no consumidor em Portugal aumentou 0,9% em Junho, o que representa uma descida de seis décimas face à taxa de inflação homóloga registada em Maio.

 

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística, a taxa de Junho foi a mais baixa desde Dezembro, ficando pela primeira vez em 2017 abaixo de 1%.

 

Esta forte travagem no crescimento dos preços, segundo o INE, ficou a dever-se sobretudo a uma "desaceleração dos preços da classe dos produtos alimentares e bebidas não alcoólicas". Os preços destes produtos aumentaram 0,2% em Junho, uma taxa de crescimento homóloga bem inferior à registada nos últimos meses, que rondou os 2%.

 

Também a pressionar a inflação em baixo, o índice referente aos produtos energéticos apresentou uma taxa de variação negativa de 0,2%, a reflectir a descida dos preços dos combustíveis.

 

O indicador de inflação subjacente, que exclui produtos alimentares não transformados e energéticos, fixou-se em 1,1%, o que também representa uma descida face ao mês anterior, mas bem inferior (uma décima).

 

Nas classes com contribuições positivas para a variação homóloga do IPC o INE destaca as classes de restaurantes e hotéis e a dos transportes.

 

A confirmar um abrandamento geral nos preços em Junho, os preços desceram 0,4% no mês passado face a Maio.

 

No que diz respeito à variação média dos últimos doze meses, a taxa situou-se em 1,1% em Junho, mais uma décima do que o registado em Maio.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub