Taxa Euribor a seis meses sobe na semana pela primeira vez desde Novembro
29 Junho 2012, 10:40 por Diogo Cavaleiro | diogocavaleiro@negocios.pt
Enviar por email
Reportar erro
0
Euribor verificam um desempenho misto após os meses de quedas consecutivas desde Dezembro.
A tendência dominante nas taxas Euribor tem sido de queda desde Dezembro. Hoje, contudo, verificou-se algo que não se registava desde o final de Novembro: a taxa Euribor a seis meses registou uma subida no saldo da semana.

Em todas as semanas desde o início de Dezembro, o saldo semanal deste indexante, que é o mais utilizado no crédito à habitação em Portugal, tem sido sempre negativo. Esta semana, contudo, verificou-se uma subida de 0,2 pontos base. A taxa fechou a semana nos 0,930% (hoje ganhou 0,1 pontos base, depois da subida de 0,3 pontos base de ontem), afastando-se do valor mais baixo de sempre, nos 0,926%, registado na quarta-feira.

Ainda assim, a média mensal da Euribor desceu para o seu mínimo histórico, o que fez com que as prestações do empréstimo à habitação em Portugal indexadas a esta taxa descessem, também, para o preço mais reduzido de sempre, como ontem noticiou o Negócios.

Num momento em que se espera que a taxa de juro da Zona Euro venha a ser reduzida do mínimo histórico de 1% na próxima semana, como aponta a maioria dos economistas consultados pela Bloomberg, as taxas Euribor têm registado um desempenho misto, que se segue à queda generalizada desde Dezembro (mês em que a taxa de referência caiu, precisamente, para 1%).

O indexante a três meses ficou hoje inalterado nos 0,653%. No total da semana, ainda desceu 0,1 ponto base.

Nos prazos mais longos, a Euribor a nove meses subiu 0,1 pontos base para 1,076%, enquanto o indexante a doze meses ficou sem alterações nos 1,213%. Já a um mês, a taxa ainda caiu 0,1 pontos base para 0,373%.

O comportamento misto segue-se à queda generalizada que os indexantes utilizados pelos bancos nas operações entre si registam desde antes do início do ano e que tem sido justificado, além do corte de juros, pelas duas operações de cedência de liquidez à banca europeia (com as LTRO – “long term refinanciang operation”). A expectativa de que o Banco Central Europeu (BCE) possa, no encontro da próxima semana, deliberar sobre novas medidas não convencionais também se sente entre os economistas.

Enviar por email
Reportar erro
0
pesquisaPor tags: