Política Monetária Técnicos do BCE analisam medidas para a retirada de estímulos

Técnicos do BCE analisam medidas para a retirada de estímulos

O banco central não retirará estímulos à economia tão cedo. Os governadores vão de férias antes de se debruçarem sobre este tema. Mas os técnicos vão trabalhar para que no regresso pós-Verão, os governadores tenham em cima da mesa todas as opções.
Técnicos do BCE analisam medidas para a retirada de estímulos
Peti Kollanyi/Bloomberg
Negócios com Bloomberg 19 de julho de 2017 às 12:50

Esta quarta-feira, 19 de Julho, arranca a reunião de dois dias do Banco Central Europeu (BCE). Não deverá haver grandes novidades, prevendo-se que o presidente da autoridade, Mario Draghi, reitere o que tem dito e que passa pela manutenção dos estímulos, nomeadamente o programa de compra de dívida.

 

Mas, diz a Bloomberg, o caminho que se segue já está a ser desbravado. Os técnicos estão a estudar os possíveis cenários e soluções. Os responsáveis estão a trabalhar calmamente em planos de estímulos para apresentarem aos governadores para que estes os avaliem quando regressarem de férias, adianta a mesma agência de informação que cita pessoas envolvidas neste processo.

 

A agência americana salienta que o facto de se estar a trabalhar em alternativas aos estímulos existentes não significa que esteja iminente a retirada do actual pacote.

 

As pessoas que estão a trabalhar nestas alternativas não têm qualquer proposta definitiva nem qualquer "timing" foi definido. Fontes ligadas ao processo dizem mesmo que os responsáveis máximos pela política monetária querem evitar qualquer alteração significativa, mesmo ao nível da linguagem, para que não haja interpretações erradas sobre o que o BCE pretende fazer.

 

A Bloomberg diz que há actualmente um consenso entre os responsáveis: o BCE precisa de tomar decisões e dar sinais de forma cautelosa. Sendo que este consenso se estreitou depois das palavras do presidente do BCE, a 27 de Junho no seu discurso em Sintra, terem sido interpretadas como um passo em frente na política monetária. Na altura, as bolsas reagiram, registando quedas pronunciadas, e o euro subiu. Um dia depois do discurso do chefe máximo do BCE foram vários os responsáveis do banco central que falaram para reduzir as expectativas criadas.




pub