Mundo Temer acusado de corrupção, obstrução à justiça e organização criminosa

Temer acusado de corrupção, obstrução à justiça e organização criminosa

O procurador-geral da República brasileira acusa Michel Temer pela prática de crimes de corrupção, obstrução à justiça e organização criminosa. Supremo considera indícios consistentes e autoriza investigação ao presidente brasileiro.
Temer acusado de corrupção, obstrução à justiça e organização criminosa
Reuters
David Santiago 19 de maio de 2017 às 19:35

São três os crimes pelos quais Michel Temer está indiciado. No pedido de abertura de inquérito judicial contra o presidente brasileiro, Temer é acusado dos crimes de corrupção, obstrução à justiça e organização criminosa.

De acordo com a imprensa brasileira, Edson Fachin, o relator da operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), vê como consistentes os indícios apresentados pelo procurador-geral da República brasileira, Rodrigo Janot, no pedido de abertura de inquérito contra Michel Temer, facto que permitiu o início da investigação já ontem formalizado.

 

A acusação formalizada por Janot assenta naquilo que foi dito na conversa gravada entre Temer e o empresário Joesley Batista, que é um dos donos da JBS (actualmente o maior grupo privado brasileiro), cujo conteúdo foi divulgado ainda na quinta-feira.


Conversa essa que implica o presidente brasileiro não apenas no alegado suborno ao antigo presidente da Câmara dos Deputados e seu companheiro de partido no PMDB, Eduardo Cunha, mas também noutros ilícitos como crimes de mercado - em concreto relacionados com a divulgação de informações privilegiadas (abordando antecipadamente alterações nas taxas de juro) – ou obstrução à justiça dado que nada terá feito depois de saber de subornos a juízes e procuradores.

 

Joesley Batista assinou um acordo de delação premiada para colaborar com os investigadores responsáveis pela Lava-Jato, tendo no âmbito desse compromisso divulgado integramente a gravação de uma conversa com Michel Temer em que o presidente insta o empresário a manter os subornos a Eduardo Cunha, dizendo que "tem que manter isso, viu?".

 

O jornal O Globo refere ainda que, no já referido pedido de abertura de inquérito, o procurador-geral Janot descreve um suposto conluio entre Temer e o senador Aécio Neves (presidente do PSDB e ex-candidato presidencial que viu, entretanto o seu mandato de senador suspenso pelo Supremo) para a aprovação de uma lei de amnistia para políticos acusados de fuga ao fisco.

 

"Os elementos de prova revelam também que alguns políticos continuam a utilizar a estrutura partidária e o cargo para cometerem crimes em prejuízo do Estado e da sociedade. Com o estabelecimento de tarefas definidas, o núcleo político promove interacções diversas com agentes económicos, com o objectivo de obter vantagens ilícitas, por meio da prática de crimes, sobretudo com corrupção. Há, pois, também o indicativo da prática do delito organização criminosa", pode ler-se no pedido citado pelo’O Globo.

Apesar das manifestações que tomaram conta das ruas das principais cidades brasileiras a pedir a renúncia de Temer à presidência brasileira, o presidente rejeita demitir-se e garante que irá provar a sua inocência junto do STF.

"Não renunciarei", foi a conclusão essencial da curta comunicação ontem feita por Michel Temer depois de o Supremo ter aberto formalmente uma investigação por corrupção ao presidente brasileiro. Temer afiança não ter qualquer envolvimento com subornos para comprar o silêncio de Eduardo da Cunha, actualmente preso por crimes de corrupção. 

"Não solicitei que isso acontecesse e só tive conhecimento desse facto nessa conversa com o empresário" Joesley Batista, afirmou Temer que assegura não ter comprado o silêncio de Eduardo da Cunha nem de "ninguém por uma singelíssima": porque "não temos nenhuma delação"

Ainda de acordo com O Globo, a delação da JBS também envolve os nomes dos ex-presidentes do Brasil Lula da Silva e Dilma Rousseff (ambos do PT), que terão, em 2014, recebido subornos num montante que terá ascendido a 150 milhões de reais. 


(Notícia actualizada às 20:05)


A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Os ladrões do arco do roubo tem que ser presos Há 2 dias

Se os nosso baptista, Salgado tiverem a coragem do brasileiro,vai muita gente para a prisão ? Até os submarinos bem ao de cima cheio de cavacas .

Camponio da beira Há 2 dias

Cá andam anos a ser considerados suspeitos, no Brasil 3 ou 4 dias depois do escncalo rebentar ´Temer é acusado.Afinal o que é que se passa na nossa justiça? Rangel disse que os juizes são a classe menos confiável em Portugal. cá está.

Desanimado Há 3 dias

O Brasil (um país riquíssimo) já não vai lá com a justiça tradicional porque não há UM politico que se aproveite, a corja da classe politica é TODA corrupta. O tempo da justiça é demasiado lento para limpar tanta porcaria em tempo útil. Isto já só lá vai com um Dexter!

Conselheiro de Trump Há 3 dias

Este corrupto pode TEMER mas diz segurar-se.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub