Política Temer chama tropas federais para conter manifestantes

Temer chama tropas federais para conter manifestantes

O presidente do Brasil, Michel Temer, convocou as tropas das Forças Armadas e autorizou a sua entrada na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, onde os manifestantes atacaram edifícios do governo.
Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters
Carla Pedro 24 de maio de 2017 às 23:15

A marcha "Ocupa Brasília", que foi convocada pelas centrais sindicais brasileiras para esta quarta-feira, 24 de Maio, supunha-se pacífica, mas acabou por descarrilar. Vários Ministérios foram alvo da fúria dos manifestantes, havendo a registar a deflagração de um incêndio no Ministério da Agricultura, e outros actos de vandalismo – com o lançamento de pedras e pilhagem – noutros edifícios governamentais, como o do Planeamento, Cultura e Transportes.

 

Perante este cenário, o presidente Michel Temer pediu o apoio das Forças Armadas, tendo sido inicialmente enviados para o local 1.200 soldados, avançou a imprensa brasileira.

 

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, informou que Temer decretou a "acção de garantia da lei e da ordem" e que, com isso, as tropas federais passarão a reforçar a segurança na região da Esplanada dos Ministérios, referia o Extra.

 

De acordo com Jungmann, "as tropas serão usadas para proteger o Palácio do Planalto, o Itamaraty, o Congresso e os edifícios dos ministérios", estando o decreto em vigor durante uma semana, de 24 a 31 de Maio.

A medida foi necessária porque a marcha Ocupa Brasília, "prevista como pacífica, degringolou para a violência, desrespeito, ameaça às pessoas", explicou Jungmann, citado pelo portal de notícias BHAZ.

 

A decisão de Temer elevou a tensão no plenário da Câmara dos Deputados e a sessão chegou a estar suspensa, avançou o jornal O Globo. Os deputados da oposição retiraram-se da sessão da Câmara, em protesto contra a "clepto-ditadura" de Michel Temer, mas acabaram por regressar.

Segundo fontes policiais, ao início da noite havia já pelo menos 49 feridos neste protesto. Um manifestante foi atingido no rosto e a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP-DF) está a investigar o caso, não descartando que tenha sido atingido por arma de fogo. Havia ainda relatos de que também vários polícias estariam feridos. 


A Garantia da Lei e da Ordem

Com este pedido de Temer, está então accionada a Garantia da Lei e da Ordem (GLO), que recorre aos militares para agirem como polícia no sentido de desocupar vias públicas e retirar manifestantes que pratiquem actos de violência e vandalismo.

 

Esta decisão do presidente de convocar as Forças Armadas para garantir a "lei e a ordem" em Brasília dividiu os juristas ouvidos pela BBC Brasil.

 

"Para Michael Mohallem, professor da FGV especialista em direito público e direitos humanos, a medida é exagerada e parece ter tido como finalidade servir como demonstração de ‘liderança’ do presidente, actualmente enfraquecido politicamente por uma investigação de corrupção", referiu o website do canal.

 

Já o jurista Ives Gandra "elogiou o uso do Exército e classificou os manifestantes como ‘destruidores da pátria’ que precisavam ser contidos. Segundo ele, a Constituição Federal permite a convocação das Forças Armadas para garantir os ‘poderes constitucionais’, o que, no caso, seria o funcionamento do Poder Executivo".

 

Ambos lembraram, contudo, que a medida não instaura estado de sítio ou de emergência, situações em que há suspensão de direitos, salientou a BBC Brasil.

 

Temer afirmou que tomou a decisão depois de o presidente da Câmara dos Representantes, Rodrigo Maia, ter pedido medidas para manter a segurança na capital federal. Mas Maia veio depois dizer que tinha havido um engano, visto que tinha solicitado o uso da Força Nacional de Segurança, não do Exército.

 

"Eu pedi ao governo a intervenção da Força Nacional para a proteção dos manifestantes, dos servidores e do património público. Se o governo decidiu pelo envio de tropas das Forças Armadas foi em razão do que avaliou pelo já ocorrido", declarou, citado pelo Correio do Povo.

 

Em comunicado, a Presidência da República justificou a decisão com os "actos de violência e vandalismo" que " colocaram em risco a vida e a incolumidade de servidores que trabalham na Esplanada dos Ministérios".

 

"Diante de tais circunstâncias, o presidente da República, após confirmada a insuficiência dos meios policiais solicitados pelo presidente da Câmara dos Deputados, decidiu empregar, com base no artigo 142 da Constituição Federal, efectivos das Forças Armadas com o objectivo de garantir a integridade física das pessoas, proporcionar evacuação segura dos prédios da esplanada e proteger o património público, tal como foi feito anteriormente em vários Estados brasileiros", refere o comunicado.

Protestos diários


Os participantes nesta marcha contestam o governo do presidente Michel Temer e as suas reformas, pedindo a sua destituição. A marcha estendeu-se até à Alameda das Bandeiras, que fica em frente ao Congresso brasileiro. 


A imprensa falava ao final da tarde em 35.000 pessoas ao longo da Esplanada dos Ministérios, mas o número de manifestantes continuou a crescer e a organização estimava ao início da noite que a participação estaria já em 200.000 pessoas.

 

As manifestações contra Temer têm-se sucedido diariamente desde que na semana passada surgiram provas - no âmbito da investigação Operação Lava Jato - de que terá incentivado os donos da empresa brasileira JBS a manterem o alegado pagamento de subornos a Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara dos Deputados.

(notícia actualizada à 01:29)




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado surpreso 24.05.2017

Fez bem ,para meter na ordem a escumalha dos sindicatos ,amigos do ladrões do PT

comentários mais recentes
O cavaco do Brasil agarra-se como uma lapa 25.05.2017

Nascem no berço a sacar os nossos impostos.

FLAFLU 25.05.2017

Temer é um grande corrupto. Nunca devia ter sido proposto para presidente. Se não houver diretas e rapidamente o Brasil corre muitos perigos. Temer foi lá colocado e sustentado por lobis poderosos. O Brasil nunca consegue dar o salto pois está refem dos corruptos. A coisa está dificil. É pena.

surpreso 24.05.2017

Fez bem ,para meter na ordem a escumalha dos sindicatos ,amigos do ladrões do PT

pub