Orçamento do Estado Teodora Cardoso admite que parte da recapitalização da CGD possa ir ao défice

Teodora Cardoso admite que parte da recapitalização da CGD possa ir ao défice

A presidente do Conselho de Finanças Públicas (CFP) admitiu esta quinta-feira que a parte da recapitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD) relativa a prejuízos passados que ainda não foram contabilizados no défice orçamental terão de ser incluídos nesse apuramento.
Lusa 17 de Novembro de 2016 às 12:19

"A regra do Eurostat não diz respeito à recapitalização da Caixa directamente, mas diz respeito ao facto de a parte da necessidade de recapitalização que resulta de prejuízos passados e que ainda não foi compensada por aumentos de capital - que esses já foram ao défice - terá de ir ao défice", explicou Teodora Cardoso aos deputados da Assembleia da República, onde está esta quinta-feira, 17 de Novembro, a ser ouvida, no âmbito da apreciação na especialidade da proposta orçamental para o próximo ano.

 

"Se vamos descobrir novos prejuízos acumulados no passado que justificam e que tornam necessária a recapitalização e que ainda não foram ao défice, a regra será a de o serem", afirmou ainda a presidente do CFP.

 

Ou seja, de acordo com Teodora Cardoso, trata-se de "calcular esses prejuízos, se eles existem, compensar a parte que já foi levada ao défice e, se houver um remanescente, esse - em princípio e de acordo com as regras - será levado ao défice".

 

A presidente do CFP respondia a uma pergunta feita pela deputada do CDS-PP Cecília Meireles sobre se a recapitalização do banco público deverá ou não ser incluída no apuramento do défice orçamental ou não, recordando o exemplo do Banif.

 

"Ouvimos a garantia de que esta recapitalização [da CGD] não seria levada em conta para efeitos do défice, mas lembro-me de o ministro das Finanças dizer que o Banif não contava e depois nos papéis da Europa lá estava o Banif considerado nas contas do défice", referiu.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado SÍTIO MUITO MANHOSO Há 2 semanas

Bom dia a todos,
Acabo e ver hoje nos jornais, Snr. Faria de Oliveira, pedindo silêncio sobre a CGD...e que "só" a RIO FRIO, proprietária da Herdade da Comporta, de 108 milhões de Euros á dita CGD !

Como é possível, ainda nenhum Administrador não ter sido no mínimo preso ???

Como foi possível, conceder-se este crédito ?

Porque têm ser os PORTUGUESES a pagar estes ROUBOS ?

ONDE ANDAM AS AUTORIDADES ?

QUE PAÍS, COM gente DESTA MERECE CREDIBILIDADE ???

ASSIM SENDO, QUALQUER LADRÃO É NO MÍNIMO...SÉRIO !!!

comentários mais recentes
Boy Podre Há 2 semanas

Admite sempre o pior

Anónimo Há 2 semanas

ESTA SENHORA N TEM REFORMA? Puxa já n há pachorra q aguente.

Dasse Há 2 semanas

Enfiem a velha no cemiterio, já não há pachorra. Esta gentinha que não deixa o país evoluir tem que ser abatida. adorei ver o Marcelo mandar a velha à mérda e valorizar os dados do INE.

jorge moura Há 2 semanas

Será que os adm da CGD que passaram a pergunta à D. Cecilia serão schamados por isso?

é que o CDS tambem tem adm na CGD pelo menos desde a celeste Cardona...

Já Agora, será a D. Teodora ao fim destes anos todos é que descobriu que as adm da CGD PSD/CDS andaram a varrer para debaixo do tapete?

ver mais comentários
pub