Finanças Públicas Teodora Cardoso: "Não vai ser fácil chegar a um défice de 2%" em 2017
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Teodora Cardoso: "Não vai ser fácil chegar a um défice de 2%" em 2017

A estratégia orçamental para 2017 é arriscada. Depende do congelamento de despesa, e é relativamente optimista nos impostos, defende Teodora Cardoso em entrevista ao Jornal de Negócios e à Antena1.
Rui Peres Jorge Rosário Lira 11 de Dezembro de 2016 às 17:22

O governo aumenta despesa, nomeadamente salários e pensões, e baixou consideravelmente o investimento público e congelou várias despesas correntes. Esta estratégia dá-lhe confiança?

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Esta direitolas é intelectualmente desonesta Há 1 semana

Esta velha está escandalosamente a abastardar a sua função técnica para fazer um frete político á sua gente da direitalha radical e ultraliberal
Só não o vê quem não quiser
Esta atitude permanente mostra trata-se de uma pessoa sem carácter, que não reúne mínimas condições de isenção para o cargo

ESTA TIPA FAZ DO CFP UM ÓRGÃO DA OPOSIÇÃO Há 1 semana

Esta fulana direitolas está, vergonhosamente, a trocar uma análise, que deveria ser meramente técnica, séria e isenta, como a obriga a sua função, por um ataque politico, permanente e sistemático ao actual governo, pelo que, decididamente, não tem condições para prosseguir no seu lugar.

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub