União Europeia Theresa May avança com remodelação governamental mas mantém núcleo duro

Theresa May avança com remodelação governamental mas mantém núcleo duro

A primeira-ministra britânica está a proceder a uma remodelação governamental. O núcleo duro, composto por Philip Hammond, Boris Johnson, Amber Rudd e David Davis, mantém-se nas suas funções, tal como avançava a comunicação social britânica.
Theresa May avança com remodelação governamental mas mantém núcleo duro
Ana Laranjeiro 08 de janeiro de 2018 às 12:42

Theresa May, primeira-ministra britânica, está a proceder a uma remodelação governamental. Downing Street, que durante a manhã não se pronunciou sobre as mudanças, começou ao início da tarde a revelar algumas informações, nomeadamente através da rede social Twitter.

Durante a manhã, os meios de comunicação social britânicos avançavam que os quatro elementos que constituem o núcleo duro do governo de May iam manter-se. Tanto a BBC como o The Telegraph, apontavam que Philip Hammon, ministro das Finanças, Boris Johnson, ministro dos Negócios Estrangeiros, David Davis, ministro com a responsabilidade de negociar o Brexit, e Amber Rudd, ministra da Administração Interna, iram permanecer nos seus cargos.


Ao início da tarde, e através do Twitter - numa sequência de tweets espaçados por alguns minutos - Downing Street confirmou que Hammond, Davis e Amber Rudd ficam no Executivo de Theresa May. Pouco depois, foi também confirmada a permanência de Boris Johnson.

Quanto às eventuais saídas, na manhã desta segunda-feira, 8 de Janeiro, parecia não haver muitos consensos entre os meios de comunicação. Segundo a Sky News, Theresa May deverá mudar seis ministros do seu governo. Jeremy Hunt, ministro da Saúde, era um dos nomes referidos como podendo sair ou mudar de cargo (era apontado pela BBC como um dos elementos do Executivo que poderia sair, enquanto a Sky News referia que Hunt poderia ser promovido a vice-primeiro-ministro). Theresa May decidiu que Hunt vai manter-se na pasta da saúde e vai ainda acumular a área da assistência social.

Mais consensual entre as estações britânicas, esta manhã, parecia ser a saída da ministra da Educação, Justine Greening. E para já, o destino de Greening ainda não é conhecido.

A Sky News acrescentava antes da hora de almoço que Greg Clark, ministro com a pasta das Empresas, Energia e Indústria, estava também em risco de abandonar funções no governo de Theresa May. Todavia, a primeira-ministra britânica, como mostra um tweet publicado por Downing Street antes das 17:00, decidiu manter Clark nas suas funções.


Gavin Williamson vai manter-se como ministro da Defesa e David Gauke vai tornar-se ministro da Justiça, segundo informações publicadas na rede social.

Quem já apresentou a sua demissão, segundo a generalidade de meios de comunicação, foi James Brokenshire, ministro com a pasta da Irlanda do Norte. A demissão de Brokenshire está relacionada com motivos de saúde. Referindo os problemas de saúde que atravessa, Brokenshire, numa carta enviada a May, citada pela Sky News, refere que "é no melhor interesse da população da Irlanda do Norte e de todo o Governo (...) que acredito que o mais acertado a fazer é, nesta altura, deixar as minhas responsabilidades actuais".

A primeira-ministra, numa missiva igualmente citada pela estação de televisão, salienta que James Brokenshire realizou algumas dos trabalhos mais importantes e mais exigentes no governo" com "grande empenho, determinação e bom humor". "Sei que vai tomar a sua operação [ao pulmão direito] da mesma forma e anseio por voltar a trabalhar consigo".

O The Telegraph sugere ainda que Theresa May deverá nomear um ministro para o caso de o Reino Unido não sair da União Europeia sem acordo ("'no deal Brexit' minister").

De acordo com a BBC, a remodelação vai prolongar-se até amanhã e está a ser encarada como uma oportunidade para a primeira-ministra nomear mais ministras mulheres. Além disso, Theresa May estará a ser pressionada para criar um equilíbrio maior, dentro do seu Executivo, entre os partidários do Brexit e os cépticos em relação à saída do Reino Unido do bloco económico europeu.

(Notícia actualizada às 14:56 com a confirmação da permanência no Governo de Hammond, Davis e Amber Rudd. Notícia actualizada novamente às 15:23 com a confirmação da permanência de Boris Johnson. Notícia actualizada novamente às 17:22 com mais informações relativamente à remodelação)




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Sabiam que também há agencias de rating para a beleza. Ora vejam: http://piratasdoreino.blogspot.pt/2017/10/malditas-agencias-de-rating_22.html

pub