Mundo Tillerson quer rever acordo de paz na Colômbia e transição para a democracia na Venezuela

Tillerson quer rever acordo de paz na Colômbia e transição para a democracia na Venezuela

Rex Tillerson, o secretário de Estado nomeado pelo Presidente dos Estados Unidos, quer rever os detalhes do acordo de paz na Colômbia e preparar uma transição para a democracia na Venezuela.
Tillerson quer rever acordo de paz na Colômbia e transição para a democracia na Venezuela
Reuters
Lusa 23 de janeiro de 2017 às 00:50

As intenções de Rex Tillerson vêm expressas no site Latin America Goes Global e constam das respostas que deu aos senadores norte-americanos numa audiência no Senado no passado dia 11 de Janeiro.

 

Na audiência, Rex Tillerson, antigo responsável da petroleira ExxonMobil, afirmava que, caso fosse confirmado como chefe da diplomacia norte-americana, "procuraria rever os detalhes do recente acordo de paz" na Colômbia e "determinar até que ponto os Estados Unidos o devem apoiar".

 

Disse ainda que queria que os Estados Unidos tivessem uma cooperação próxima com os países do sul, em particular com o Brasil e a Colômbia, em busca de uma "transição negociada com o Governo democrático" da Venezuela.

 

Os senadores republicanos John McCain e Lindsey Graham anunciaram no domingo que apoiam a escola de Tillerson, o que deita por terra os obstáculos à confirmação para o cargo.

 

Venezuela quer ter as melhores relações com Trump

 

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou hoje que quer ter "as melhores relações políticas, energéticas e económicas" com os Estados Unidos, agora com nova administração, liderada por Donald Trump.

 

"Desejo que no decorrer dos próximos dias e meses se possa constituir, com o novo Governo, relações de comunicação e respeito entre a República Bolivariana da Venezuela, berço de libertadores, e os Estados Unidos da América", afirmou Nicolás Maduro num programa semanal que mantém na televisão pública.

 

Sublinhando que nas relações entre os dois países não deve haver "ingerência em assuntos internos", Maduro disse que deseja "o melhor" aos Estados Unidos e espera que as "elites políticas e económicas" possam "construir relações de respeito e de cooperação com a toda a América".

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar