Economia Três helicópteros e 170 operacionais mobilizados para Vila Nova da Rainha

Três helicópteros e 170 operacionais mobilizados para Vila Nova da Rainha

Cerca de 170 operacionais e três helicópteros do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) foram esta noite mobilizados para Vila Nova da Rainha, no concelho de Tondela, disse o comandante operacional distrital de Viseu, Miguel David.
Três helicópteros e 170 operacionais mobilizados para Vila Nova da Rainha
Nuno André Ferreira/Lusa
Lusa 14 de janeiro de 2018 às 00:12

Ao fazer um ponto de situação, cerca das 23:10, sobre o incêndio ocorrido hoje à noite numa associação em Vila Nova da Rainha, Miguel David disse que "a operação de socorro está a decorrer" e "o incêndio está considerado extinto". "Temos no local cerca de 170 operacionais, entre viaturas de socorro, ambulâncias e meios de combate e seis equipas médicas do INEM que montaram um posto médico avançado de forma a fazer triagem a todos os feridos", explicou.

 

Segundo o responsável, "estão ainda envolvidos nesta operação três helicópteros do Instituto Nacional de Emergência Médica, para além dos meios da GNR e dos serviços municipais de protecção civil".

 

Questionado sobre os mortos e feridos causados pelo incêndio, Miguel David disse apenas que "está a ser executado um posto médico avançado a fazer triagem de vítimas". "Trata-se de um evento que decorria numa associação, do qual resultou um incêndio por causas que importa depois apurar pelas entidades com competência legal para tal", acrescentou.

 

O presidente da Câmara de Tondela, José António Jesus, disse que "nesta associação cultural e desportiva estariam mais de 60 pessoas, num torneio de sueca". "Pelas razões ainda não apuradas, há um foco de incêndio e há uma situação de calamidade com muitas dezenas de feridos a serem assistidos", acrescentou.

 

Segundo o autarca, "os meios rapidamente se posicionaram e foram disponibilizados". "Neste momento temos de reagir e encontrar ânimo para dar estímulo e conforto às famílias e às vítimas", acrescentou. José António Jesus disse que há "várias dezenas de feridos ligeiros e graves e tudo aponta para mortos".




pub