Política Tribunal rejeita candidatura de Isaltino a Oeiras

Tribunal rejeita candidatura de Isaltino a Oeiras

Candidato está a analisar despacho do juiz e já marcou uma conferência de imprensa para esta noite. Isaltino Morais tem 48 horas para recorrer da decisão.
Tribunal rejeita candidatura de Isaltino a Oeiras
Cofina Media
Negócios 08 de agosto de 2017 às 20:53

A candidatura de Isaltino Morais à Câmara de Oeiras foi recusada pelo tribunal de Oeiras, o qual invocou um problemas de assinaturas, avançou no Diário de Notícias na sua edição online.

Isaltino Morais tem agora 48 horas para recorrer e já anunciou que vai dar uma conferência de imprensa às 21h30 para reagir ao despacho do tribunal.

Isaltino Morais é candidato à Câmara de Oeiras através do movimento Inovar Oeiras de Volta.

O DN teve acesso à decisão do juiz Nuno Tomás Cardoso, o qual afirma no seu despacho "que as declarações de proposituras apresentadas não identificam em qualquer local do seu texto os cidadãos candidatos que integram a lista".

"Com efeito, nem no anverso nem no verso existe qualquer identificação dos candidatos ou qualquer folha anexa, não obstante as referidas folhas para ela remeterem, sendo que a única folha existente contendo a identificação dos candidatos é a que encabeça cada pasta das declarações", acrescenta o juiz no despacho citado pelo DN.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 09.08.2017

Eu diria mais, quem não mentir e não for vigarista não tem hipótese de ser eleito. Por isso defendo que ou não fazem promessas na campanha ou havia de haver um tribunal que as fizesse cumprir com o património dos eleitos.

pertinaz 09.08.2017

DIREITO POR LINHAS TORTAS

CONDENADOS NO EXERCÓCIO DE FUNÇÕES NÃO DEVIAM PODER RECANDIDATAR-SE

Camponio da beira 08.08.2017

Qualquer cidadão que antes ou durante (mandatos), tenha praticado calotes,, falencias, corrupção ou crimes de sangue deveria ficar arredado definitivamente, de cargos publicos ou ter contratos com o estado A politica não pode ser feita por cadastrados.

Dono dos Burros 08.08.2017

1ª Não voto em Oeiras. "º Não sou fã do Isaltino. 3º No fascismo também os burocratas decidiam quem ia a eleições ou não. Estamos conversados com esta "democracia" de caca. Quem tem de decidir é o POVO.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub