Economia Troika adia visita à Grécia

Troika adia visita à Grécia

A missão da troika adiou a sua visita à Grécia, por causa dos problemas de saúde do primeiro-ministro grego
Lusa 24 de junho de 2012 às 14:56
Os representantes da 'troika' adiaram a sua visita a Atenas, prevista para segunda-feira, devido aos problemas de saúde do primeiro-ministro grego, Antonis Samaras, e do ministro das Finanças nomeado, Vassilis Rapanos, noticia a agência Efe.

"A data de chegada [dos representantes da Comissão Europeia, do Banco Central Europeu e do Fundo Monetário Internacional] será anunciada nos próximos dias", afirmou à Efe, em Atenas, um fonte governamental, que pediu para não ser identificada.

A troika deveria reiniciar as suas inspecções na segunda-feira, depois da interrupção provocada pelas eleições legislativas gregas.

O primeiro-ministro, Antonis Samaras, e o ministro das Finanças, Vassilis Rapanos, estão com problemas de saúde que impedem o cumprimento do calendário previsto para avançar a luta contra a grave crise que a Grécia atravessa.

Antonis Samaras, de 61 anos, que tomou posse na quinta-feira, foi operado de urgência no sábado a um descolamento da retina.

Já Vassilis Rapano, de 65 anos, está hospitalizado depois de ter sido internado, na sexta-feira, com fortes dores de estômago.

Rapanos não pode tomar posse e, por isso, o antecessor, Zannias, mantém-se no cargo como interino.

O primeiro-ministro e o ministro das Finanças também não estarão presentes no Conselho Europeu, que decorrerá no final desta semana.

Num comunicado divulgado hoje em Atenas, o porta-voz do Governo, Simos Kedíkoglu, anunciou que a delegação grega na cimeira será liderada pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Dimitris Avramopulos.

Da avaliação da 'troika' depende a disponibilização de uma tranche de 5.000 milhões de euros do empréstimo de 130.000 milhões de euros previsto no segundo plano de resgate à Grécia.

Está também pendente o pagamento de uma tranche de 1.000 milhões de euros, referentes a Maio.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub