Mundo Trump adverte ex-chefe do FBI para não revelar conteúdo de conversas entre eles

Trump adverte ex-chefe do FBI para não revelar conteúdo de conversas entre eles

Dois inquéritos estão igualmente a decorrer no Congresso para determinar se existiu conluio com a Rússia para favorecer a candidatura do republicano em detrimento da sua adversária democrata Hillary Clinton.
Trump adverte ex-chefe do FBI para não revelar conteúdo de conversas entre eles
Reuters
Lusa 12 de maio de 2017 às 15:43

O Presidente norte-americano, Donald Trump, avisou hoje o ex-chefe do FBI, James Comey, que demitiu de forma inesperada na noite de terça-feira, para não revelar aos 'media' o conteúdo das conversas que mantiveram.  

 

"Seria positivo que James Comey referisse que não existem 'registos' das nossas conversas antes de começar a fazer revelações aos 'media'", assinalou Trump numa série de 'tweets' divulgados esta manhã.

 

Na quinta-feira, o Presidente indicou em entrevista à cadeia televisiva NBC ter mantido duas conservações telefónicas, e um jantar, com Comey e onde terá perguntado se estava a ser visado pelo inquérito do FBI sobre um conluio com a Rússia.

 

"Disse-lhe, 'Se for possível, pode dizer-me se existe um inquérito sobre mim?'. Ele disse-me que não havia um inquérito sobre mim", explicou Trump à cadeia televisiva norte-americana, numa referência ao inquérito em curso no FBI sobre possíveis ligações entre o seu círculo mais próximo e responsáveis russos durante a campanha eleitoral de 2016.

 

Dois inquéritos estão igualmente a decorrer no Congresso para determinar se existiu conluio com a Rússia para favorecer a candidatura do republicano em detrimento da sua adversária democrata Hillary Clinton.

 

Hoje, Trump também reagiu às críticas relacionadas com a comunicação emitida pelas suas equipas após o afastamento inesperado de Comey. Durante alguns dias, diversas foram divulgadas diversas versões, que diferiam em função dos interlocutores.

 

"Na qualidade de presidente muito activo e com numerosas situações a decorrer, nem sempre possível às minhas equipas que subam a um estrado com uma perfeita exactidão", justificou o multimilionário.

 

"Talvez fosse melhor anular no futuro todas os `briefing com a imprensa' e remeter as respostas por escrito para garantir maior exactidão", prosseguiu.

 

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Conselheiro de Trump 12.05.2017

O jogo de pin pong vai continuar,mas ele e tao pobrezinho.

pub